Descrição de chapéu União Europeia

Uefa cogita punir Neuer por símbolo gay, mas volta atrás e diz que uso é por boa causa

Antes de desistir, entidade via ato político e poderia multar goleiro e federação alemã

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A Uefa chegou a abrir uma investigação contra o goleiro da Alemanha, Manuel Neuer, pelo uso de uma braçadeira com as cores do arco-íris, símbolo da comunidade LGBT. A entidade, no entanto, voltou atrás neste domingo (20), e disse que o ato do capitão alemão foi por uma "boa causa".

Antes, a informação era de que a entidade máxima do futebol europeu consideraria a braçadeira um símbolo político e poderia multar tanto o goleiro quanto a federação alemã. A investigação era sobre o uso do acessório durante as duas primeiras partida de sua equipe na Eurocopa, contra a França e Portugal, e num amistoso contra a Letônia dias antes da competição.

Neste domingo, porém, a federação alemã postou em seu Twitter que o processo havia sido arquivado e que a Uefa disse, por meio de uma carta, que considerou o símbolo como algo pela diversidade e, portanto, por "uma boa causa".

O goleiro alemão Manuel Neuer usando a braçadeira com o símbolo do arco-íris durante a partida entre sua seleção e Portugal, neste sábado (19)
O goleiro alemão Manuel Neuer usando a braçadeira com o símbolo do arco-íris durante a partida entre sua seleção e Portugal, neste sábado (19) - Matthias Schrader/AFP

A Uefa diz considerar o combate à homofobia uma de suas prioridades. O mês de junho, ainda, é um período de conscientização sobre o tema, designado como "Pride Month".

Antes do fim da investigação, Christian Rudolph, membro do conselho nacional da Associação de Lésbicas e Gays da Alemanha, disse à rede de televisão NTV que a possibilidade de o goleiro ser punido era inaceitável.

"Estamos no mês do orgulho e, no evento mais importante do período, o uso de uma braçadeira com o símbolo do arco-íris deve ser evitado? A Uefa deve pensar naqueles que o ato representa. O que os atletas devem pensar agora?", disse.

Antes de a Uefa investigar o caso, Neuer já havia sido atacado por políticos alemães. Um deles, Uwe Junge, do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha, disse, no Twitter, que o goleiro deveria ser capaz de aguentar consequências, como a perda de fãs, do ato.

Uma das líderes do Alternativa para a Alemanha, Alice Weidel, que é lésbica, porém, disse que os comentários de Junge não representavam o partido.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.