Descrição de chapéu Velocidade

Hamilton vence GP do Qatar e esquenta briga com Verstappen pelo título da F1

A duas corridas do fim da temporada, inglês reduz diferença para oito pontos

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Uma semana após a histórica vitória em Interlagos, Lewis Hamilton emendou outro triunfo, agora no GP do Qatar, e se aproximou ainda mais de Max Verstappen na disputa pelo título do Mundial de Pilotos da F1.

A duas corridas do fim da temporada, o inglês da Mercedes está a oito pontos do holandês da Red Bull (351,5 a 343,5). O líder chegou em segundo e levou um ponto extra pela melhor volta. Antes da corrida no Brasil, a diferença era de 21.

Neste domingo (21), Hamilton, 36, largou na pole, liderou todas as voltas e não foi ameaçado no estreante GP realizado em Lusail, cidade construída como estratégia de imagem do país que sediará a Copa do Mundo no ano que vem.

Hamilton acena no pódio ao lado de homens vestidos com roupas brancas
Lewis Hamilton venceu o primeiro GP do Qatar de F1, em Lusail - Andrej Isakovic/AFP

O Mundial de futebol terá sua abertura daqui a exatamente um ano, no dia 21 de novembro de 2022. Para celebrar o marco, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, esteve presente no GP.

Nos últimos anos, o Qatar foi bastante criticado por desrespeitar direitos humanos e submeter trabalhadores do grande canteiro de obras em que o país se transformou a situações precárias.

Hamilton não se furtou a marcar posição nos últimos dias. "Quando esportistas vão para esses locais, têm o dever de colocar em foco esses problemas. Esses lugares precisam de escrutínio. Direitos iguais são uma questão séria", disse o sete vezes campeão mundial.

Ele ainda usou um capacete com as cores da bandeira LGBTQIA+ e a frase "We Stand Together" ("Nós seguimos juntos") ao longo do fim de semana.

O capacete com as cores LGBTQIA+ de Lewis Hamilton
O capacete com as cores LGBTQIA+ de Lewis Hamilton - Andrej Isakovic/AFP

Na pista, o inglês teve bem menos trabalho do que em São Paulo, quando precisou superar duas punições que geraram perdas de posição para sair vitorioso.

Desta vez foi Verstappen, 24, quem acabou punido com cinco colocações no grid, por não respeitar uma bandeira amarela dupla durante a classificação, no sábado. Isso fez com que ele largasse em sétimo.

O holandês levou apenas cinco voltas para recuperar as posições e ficar atrás de Hamilton, mas não ameaçou o rival.

O finlandês Valtteri Bottas perdeu três posições por razão similar, mas largou mal, não conseguiu ajudar o companheiro e a Mercedes e mais tarde teve que abandonar a prova.

Fora da briga principal, quem se destacou numa corrida com poucas emoções foi Fernando Alonso. O bicampeão mundial (2005 e 2006) largou em terceiro e conseguiu ir ao pódio com a Alpine, o primeiro do piloto de 40 anos em seu retorno à F1 após duas temporadas fora da categoria. A última vez do espanhol no pódio havia sido em 2014, pela Ferrari.

Após um fim de semana de pausa, a F1 emendará suas duas últimas etapas nos dias 5 e 12 de dezembro, na Arábia Saudita e em Abu Dhabi.

Serão os capítulos decisivos de um dos campeonatos mais acirrados da história, que acabará com o oitavo título de Hamilton ou o primeiro de Verstappen.

Mundial de Pilotos da F1

Max Verstappen - 351,5
Lewis Hamilton - 343,5
Valtteri Bottas - 203
Serio Pérez - 190

Mundial de Construtores

Mercedes - 546,5
Red Bull - 541,5

Próximas corridas

GP da Arábia Saudita - 5.dez
GP de Abu Dhabi - 12.dez

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.