Descrição de chapéu tecnologia

Comitês olímpicos sugerem uso de eletrônicos temporários nos Jogos de Pequim

Entidades estão preocupadas com segurança cibernética nas Olimpíadas de Inverno

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Hritika Sharma Steve Keating
Reuters

Comitês Olímpicos Nacionais (CONs) de alguns países ocidentais estão aconselhando seus atletas a deixar dispositivos pessoais em casa ou usar telefones temporários devido a questões de segurança cibernética nos Jogos de Inverno de Pequim.

Muitos CONs disseram que fornecerão a seus atletas e funcionários dispositivos temporários para evitar riscos de segurança e combater qualquer vigilância durante os Jogos, que ocorrerão de 4 a 20 de fevereiro na China.

"Deve-se presumir que cada texto, email, visita online e acesso a aplicativos pode ser monitorado ou comprometido", disse o Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) em um comunicado.

Torre iluminada ao lado de bandeira com os anéis olímpicos
Torre Olímpica de Pequim, palco dos Jogos de Inverno de 2022 - Fabrizio Bensch - 19.jan.22/Reuters

A entidade sugeriu o uso de laptops e telefones alugados ou descartáveis ​​enquanto os representantes estiverem em Pequim. A recomendação a quem pretende levar seu equipamento é limpar todos os dados de dispositivos pessoais antes e depois da viagem. O comitê recomendou ainda que os membros instalem redes privadas virtuais (VPNs) nos dispositivos antes de deixar os Estados Unidos.

Apesar das salvaguardas em vigor para proteger seus sistemas e dados, não deve haver "expectativa de segurança ou privacidade de dados durante a operação na China", acrescentou o USOPC.

Autoridades olímpicas de Pequim não puderam ser contatadas imediatamente para comentar. O Comitê Olímpico Internacional disse que "não cabe a nós comentar sobre o conselho que um CON pode fornecer aos membros de sua delegação".

O Comitê Olímpico Canadense disse que aconselhou os membros a deixar dispositivos pessoais em casa e ser mais diligentes, já que os Jogos apresentaram "uma oportunidade única para o crime cibernético".

Os comitês suíço e sueco também fornecerão novos dispositivos para suas delegações e informaram sobre as medidas que elas podem tomar para ter segurança cibernética.

"Também fornecemos informações aos atletas sobre a situação na China em cooperação com a organização Defensores dos Direitos Civis, para que os atletas possam tomar suas próprias decisões sobre como usar equipamentos pessoais durante as Olimpíadas", disse o comitê sueco.

A Associação Olímpica Britânica disse que deu conselhos práticos aos atletas e funcionários sobre como levar seus dispositivos pessoais para Pequim e que fornecerá dispositivos temporários para aqueles que os quiserem.

O jornal holandês De Volkskrant informou na semana passada que o comitê olímpico do país pretende equipar os membros de sua equipe com dispositivos não utilizados.

Alguns outros países estão menos preocupados com questões de segurança cibernética em Pequim, no entanto.

Os CONs da Eslovênia e da Eslováquia disseram que não oferecerão dispositivos temporários aos membros da equipe, enquanto o CON da Croácia afirmou que permitirá que sua delegação leve seus próprios dispositivos. A Sérvia disse que não planeja medidas adicionais de segurança cibernética.

Em outro assunto da mesma esfera, pesquisadores disseram que um aplicativo do Comitê Organizador de Pequim, que todos os participantes devem usar para monitorar sua saúde, contém falhas de segurança que o tornam vulnerável a violações de privacidade.

Yu Hong, chefe do departamento de tecnologia do Comitê Organizador de Pequim, disse que esses problemas são naturais ao desenvolver esse tipo de aplicativo e que seu departamento está constantemente atualizando para enfrentá-los.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.