Campeã do carnaval será conhecida nesta 4

Estácio e Ilha correm risco de rebaixamento

Brasil Online 11/02/97 23h58
De São Paulo

CarnavalNesta quarta-feira, a partir das 15h na Praça da Apoteose acontece a apuração das notas dos jurados para as escolas do Grupo Especial do Rio. As especulações são muitas e as análises são variadas de acordo com quem comenta. Mas uma coisa é certa. Fica difícil imaginar em que quesito Viradouro e Mocidade poderão perder pontos.

A Mocidade do carnavalesco Renato Lage reeditou o estilo high tech com o seu "De corpo e alma na avenida", ode ao corpo humano. A Viradouro de Joãozinho descomplicou um enredo que parecia hermético -"Trevas! Luz! A explosão do universo". Cada um do seu jeito, os dois foram os donos da festa. Renato desfilou carros monumentais, como o que representava o coração. Tão perfeito era que parecia bombear sangue por enormes veias. Era luz néon brilhando por dentro de tubos.

A luz de Joãozinho foi outra e dava nome a um dos seus carros. Não havia néon, mas sim holofotes controlados por computador que despejavam luz sobre colunas cobertas com tiras de papel celofane. Era tanta claridade que feria os olhos. A genialidade -que a doença não conseguiu roubar de Joãozinho- proporcionou outros momentos de esplendor durante o desfile da Viradouro. A escola entrou na avenida coberta de preto e roxo, simbologia das trevas do enredo. A luz se fez na terceira ala, a das baianas, a tradição transformada em elemento-chave da história que Joãozinho queria contar.

Não foram só as baianas. Tudo no desfile da Viradouro estava ligado ao enredo. Os empurradores, tradicionalmente relegados à tarefa de fazer força, estavam vestidos com fantasias que se integravam aos carros. Até a ala de passistas, no papel de "terra em movimento", contava um capítulo da história.

Se Joãozinho mostrou que ainda há caminhos para renovar os desfiles, Renato provou que não está acomodado em sua fórmula de sucesso. Vestiu sua primeira porta-bandeira, Lucinha, de bailarina - com sapatilhas e tudo. Logo atrás, vinha um séquito de bailarinas. A mudança indicou que o carnaval de Renato não é feito só de tubos e luzes. Seus olhos parecem enxergar além dos carros alegóricos, sua marca registrada: agora, parece estar também estar preocupado com a evolução dos componentes no chão.

A excelência levada à avenida por Joãozinho e Renato foi tanta que ofuscou a concorrência. Nenhuma outra escola da segunda chegou perto do que se viu em Viradouro e Mocidade. Falando em bateria, a da Viradouro alcançou a proeza de tocar funk sem agredir o samba.

Mas não se pode esquecer do desfile de domingo em que a Porto da Pedra foi a escola que mais animou a avenida. Imperatriz e Salgueiro fizeram desfiles tecnicamente quase perfeitos ainda que recebidos com frieza pela platéia. Entre estas ainda falta incluir Portela e Mangueira que fizeram desfiles empolgados e devem conseguir boa colocação, embora pareçam estar longe do título.

As opiniões variam mais ou menos em torno destas escolas. A pesquisa realizada pelo Ibope e a Rede Globo com o público do Sambódromo apontou a Mocidade em primeiro, Imperatriz, Salgueiro e Viradouro em segundo e Porto da Pedra em terceiro.

A pesquisa da TV Manchete com os espectadores apontou novamente a Mocidade como campeã, seguida de perto pela Portela, Mangueira, Viradouro, Vila Isabel e Porto da Pedra. Segundo o júri do Jornal do Brasil as favoritas são Mocidade, Imperatriz, Viradouro e Porto da Pedra. O troféu Estandarte de Ouro, conferido pelo jornal O Globo, deu o título de melhor escola à Viradouro.

Os jurados vão dar nota em nove quesitos: samba-enredo, bateria, harmonia, evolução, enredo, fantasias, alegorias e adereços, comissão de frente e mestre-sala e porta-bandeira. Cada quesito tem quatro notas. As mais baixas e as mais altas serão descartadas. O desempate será feito pelas notas válidas.

De acordo com o regulamento duas escolas do Grupo de Acesso A sobem para o Especial no ano que vem e as quatro últimas deste desfile em 1997 caem para a divisão inferior. De acordo com a maioria das opiniões Rocinha, Santa Cruz e Unidos da Tijuca devem ser rebaixadas. A quarta vaga, quem diria, será disputada provavelmente entre Estácio de Sá, campeã em 1992, e União da Ilha do Governador.

O Brasil Online fará a cobertura online da apuração dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro a partir das 15h. Com informações da Agência Folha e AJB