Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/05/2009 - 18h40

Supremo da Alemanha libera exibição de filme sobre canibal

da BBC

O Supremo Tribunal Federal da Alemanha liberou nesta terça-feira a exibição no país de um filme de terror inspirado na vida de Armin Meiwes, conhecido como o canibal de Rotemburgo. A obra foi proibida pela primeira vez em 2006, pouco antes da estreia, devido a um recurso impetrado pelo advogado de Meiwes.

O advogado alegou, entre outras coisas, que a história viola a privacidade de seu cliente, reproduzindo em detalhes sua vida. Desde então, a briga passou por todas as instâncias da Justiça alemã.

O técnico de informática Armin Meiwes foi condenado a prisão perpétua por ter, em 2001, castrado, matado e devorado o engenheiro berlinense Bernd-Jürgen Brandes, 43, em sua casa, na cidade de Rotemburgo. Ele diz que agiu com consentimento da própria vítima, que havia posto um anúncio na internet, pedindo para ser devorada. A vítima marcou encontro com seu assassino, e o crime foi filmado com uma câmera de vídeo.

Para o tribunal, a proibição sobre a exibição do filme deve ser suspensa porque o interesse público sobre o assunto e a liberdade artística prevalecem sobre os direitos de personalidade do condenado. "O filme não deturpa os fatos do caso, que foram amplamente conhecidos", afirma o tribunal, ao justificar a decisão.

A produção germano-americana foi intitulada, na Alemanha, "Rohtenburg", com a grafia errada do nome da cidade do assassino (o correto é Rotenburg). Em outros países, ele recebeu o nome de "Grimm Love". A produtora responsável pelo filme diz que o caso de Meiwes só "forneceu inspiração para o filme".

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página