Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/11/2007 - 18h01

PT e oito partidos se unem contra proposta de terceiro mandato para Lula

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Presidentes de nove partidos governistas e da oposição se uniram hoje para repudiar a proposta de criar um terceiro mandato ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A proposta chegou a ser articulada por deputados do PT.

Em nota assinada pelo PT, PSDB, PMDB, DEM, PDT, PC do B, PP, PSC e PSB, os presidentes dos nove partidos afirmam que são contrários a mudanças na Constituição Federal que possam permitir um terceiro mandato ao presidente da República, governadores e prefeitos.

"Os presidentes de partido tornam público o seu posicionamento contrário a quaisquer alterações das normas constitucionais que disciplinam as eleições para cargos de presidente da República, governadores e prefeitos visando facultar um terceiro mandato consecutivo mediante segunda reeleição", diz a nota.

Os nove presidentes de partidos fecharam questão contra as articulações de um terceiro mandato com o argumento de que essa discussão "compromete o clima de tranqüilidade e normalidade política e institucional do país, necessário ao trabalho construtivo do desenvolvimento econômico e social da nação brasileira".

O vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, disse que a reunião dos partidos encerra qualquer articulação sobre o terceiro mandato. "Queremos que seja uma pá de cal, que esse assunto seja encerrado."

Apesar de deputados petistas terem articulado nos bastidores a votação de PEC (proposta de emenda constitucional) que permite o terceiro mandato aos atuais ocupantes de cargos públicos --mesmo que já tenham sido reeleitos --o presidente do PT, Ricardo Berzoini, desautorizou as discussões sobre o tema dentro do partido.

"O PT nunca estimulou, não tem qualquer posição favorável a essa iniciativa. O próprio deputado Devanir Ribeiro (PT-SP) [apontado como articulador da PEC da reeleição] deixou claro hoje ao presidente Lula que não articula a votação dessa matéria", afirmou Berzoini.

O presidente do PMDB, Michel Temer (SP), afirmou que os nove partidos consideram que a discussão sobre terceiro mandato compromete o próprio desenvolvimento democrático do país. "Nestes dias todos, nós presidente de partidos estamos preocupados com a discussão do terceiro mandato. Ao nosso modo de ver, isso não está na pauta dos partidos e pode comprometer projetos de desenvolvimento do país."

Já o presidente do DEM, Rodrigo Maia (RJ), disse que os partidos não vão permitir que se instale no país um "clima de instabilidade democrática" como ocorre atualmente em outros países da América Latina --numa referência indireta à Venezuela.

"Os mandatos dos parlamentares são passageiros, os partidos são permanentes. As instituições não querem que o país caminhe para um rumo antidemocrático", disse Maia.

Fim da reeleição

Apesar da unidade contra o terceiro mandato, os presidentes de partidos divergem quando o assunto é a proposta que acaba com a reeleição no país. Maia disse que o DEM não apóia o fim da reeleição, mas sim mecanismos que aprofundem a prática.

"Cada partido tem uma posição sobre esse tema. Mexer no sistema que foi aprovado seria equivocado. O melhor é maturá-lo", defendeu.

O presidente do PSB, por sua vez, enfatizou que a legenda apóia o fim da reeleição --ao contrário do que defendem os democratas. "Somos contra a reeleição, queremos extinguir essa prática do país", disse Amaral.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

Comentários dos leitores
petra fan (32) 02/02/2010 21h26
petra fan (32) 02/02/2010 21h26
o sindicato que está no poder passou 20 anos jurando que queria governar para mudar "tudo isso que está aí".
hoje, tem uma escumalha a compor sua base de governo, institutos de pesquisa amigos que lhe conseguem amostras sortudas, e uma tropa de tonton macoutes a demonstrar sua verve "democrática" na internet.
é impressionante.
sem opinião
avalie fechar
Claudio Rocha (434) 02/02/2010 20h00
Claudio Rocha (434) 02/02/2010 20h00
Quando governo é atuante os desastres provocados pela natureza são diminuidas. O que ocorre em SP com as enchentes é igual ao que ocorreu no governo Bush em New Orleans, USA, com o KATRINA. onde o governo, todos sabiam a quem defendia e a quem representava. O que permitiu que um fenomeno da natureza devastasse a cidade, mostrando o sofrimento e a miseria que os poderosos tanto se empenham em esconder....São Paulo uma cidade triste, população se sente abandonada por aqueles no qual confiou seu voto.... Esse deveria ser o lema do PSDB: Brasil um Pais para poucos 5 opiniões
avalie fechar
Você sabia que no Paraguai (que não tem nenhum poço de petróleo) a gasolina custa R$ 1,45 o litro e sem adição de álcool . Na Argentina, Chile e Uruguai que juntos (somados os 3) produzem menos de 1/5 da produção brasileira, o preço da gasolina gira em torno de R$ 1,70 o litro e sem adição de álcool. Você sabia, que já desde o ano de 2007 e conforme anunciado aos "quatro ventos" pelo LULA e sua Ministra DILMA... o Brasil já é AUTO-SUFICIENTE em petróleo e possui a TERCEIRA maior reserva de petróleo do MUNDO.
Realmente, só tem uma explicação para pagarmos R$ 2,67 o litro: a GANÂNCIA do Governo com seus impostos e a busca desenfreada dos lucros exorbitantes da nossa querida e estimada estatal brasileira que refina o petróleo por ela mesma explorado nas "terras tupiniquins", então o "velho PT", lembram-se deles, quando oposição???Vão ao MP,contra o Serra devido as enchentes........e dá para entender???
8 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (19708)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página