Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/12/2007 - 09h11

PT rejeita "debate ético" em segundo turno da eleição

Publicidade

JOSÉ ALBERTO BOMBIG
da Folha de S.Paulo

O resultado final do primeiro turno das eleições do PT, divulgado ontem, mostra que o partido enterrou de vez o debate em torno de escândalos recentes --mensalão (2005) e dossiê antitucano (2006)-- e terá como principais focos de discórdia no restante da campanha a sucessão do presidente Lula.

Os candidatos que vão disputar o segundo turno (dia 16 deste mês), Ricardo Berzoini, atual presidente, e Jilmar Tatto, compartilham a tese de que os escândalos ficaram para trás.

José Eduardo Cardozo, derrotado por Tatto pela pequena margem de 3.746 votos, era o único que tinha como bandeira de campanha o "resgate da ética". Em quarto ficou Valter Pomar, outro crítico à atual direção nesse aspecto.

O número de 326 mil eleitores (de um universo de 900 filiados aptos a votar), superior aos 314 mil da eleição de 2005, auge do mensalão, comprovaria a mudança de prioridade.

"Aquele era um outro momento. Nós passamos pela crise ética, a militância se superou, a exemplo do que fez na reeleição do Lula. Agora, o desafio é preparar o partido para as disputas de 2008 e 2010", diz Romênio Pereira, secretário de organização do PT.

Berzoini, da corrente CNB (Construindo um Novo Brasil), e Tatto, da PT de Lutas e de Massas, também não divergem quanto à defesa do governo Lula. O segundo, porém, prega uma distância regulamentar do partido em relação ao Planalto e promete trabalhar pela candidatura própria petista em 2010.

"Não tenho ministro do governo na minha chapa. Vamos defender Lula e voltar ao movimento social, garantindo que o PT tenha candidato em 2010", diz Tatto. Já Berzoini promete trabalhar por uma candidatura própria, mas avalia que ela deve se impor aos aliados do PT naturalmente. "O partido tem de trabalhar tranqüilamente para chegar com um nome capaz de liderar a coalização", disse.

"Pacto majoritário"

Apesar de tantas semelhanças entre as duas candidaturas, o presidente do PT negou ontem, em nota à militância, que tenha procurado Tatto em busca de uma composição que evitasse o segundo turno.

Conforme revelou a Folha anteontem, emissários de Berzoini encamparam a idéia e chegaram a negociar com adversários. "Não aceito nenhuma tratativa em relação ao segundo turno que não seja programática", disse.

Já o tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, um dos coordenadores da campanha de Berzoini, reconhece o movimento, mas diz que ele não tem o apoio do comando. "Não temos a intenção de recompor o Campo Majoritário [que comandou a sigla até o mensalão]."

Em seu blog, Luis Favre, marido da ministra Marta Suplicy (Turismo), pregou a criação de um "pacto majoritário".

"Essa possibilidade existe na medida em que, tanto Berzoini e Tatto, como as correntes que estão agrupadas no apoio a ambos, compartilham pontos centrais acumulados em todos esses anos pelo PT", afirmou.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

Comentários dos leitores
José Alberto (349) 13/01/2010 11h07
José Alberto (349) 13/01/2010 11h07
Sr. Fernado Gonçalves o sr. é ministro mesmo ou é do PANELÃO pois é como digo o sr., a juiza , o britão só acham um para quebrar o sigilo bancario ou é mais um meio de aparecer que está fazendo alguma coisa, mora como já disse e repito onde mora a corrupção e só acha um, o sr existia na epoca da roseana,do lulinha, dirceu, vanuchi, amorim, castelinho, renan, sarnentos, passagens aereas, escandalos na petrobras, palocci,genoino,bndes mais recente, o sr. não existia ou estava enterrado como um zumbi para acordar agora no escandalo do df....o senhor não é serio não ..... sem opinião
avalie fechar
Flavio Goncalves (4) 29/12/2009 07h23
Flavio Goncalves (4) 29/12/2009 07h23
Sempre tem um PT oficial no comentário. Parece a hora do Brasil no governo militar. É muito fácil governar só com pacote de bondades usando o dinheiro dos contribuintes. 50 mil para deputados, distribuição de cargos, duplicação dos quadros. O problema é que em nenhum momento Lula foi capaz de confrontar e por isso nenhum avanço institucional significativo se deu. A justiça continua levando 10 anos para julgar, a impunidade nunca foi tão evidente, o crescimento é 0%, muito inferior a India e China (O PT adora se comparar a cachorro morto, escolhe sempre o país mais atingido). A burocracia, o manicomio tributário a violência urbana nunca foram combatidos. Lula se faz com uma situação econômica que é devida em grande parte ao aumento das commodities, saneamento dos bancos feito no governo anterior e uma política econômica copiada (metas de inflação), mas avançou muito pouco nos reais problemas brasileiros, porque eles não podem ser resolvidos só com bondade. O segredo do fracasso é querer agradar a todos, mas Lula e o PT tem até agora desafiado essa máxima com sucesso. 2 opiniões
avalie fechar
Valentin Makovski (506) 28/12/2009 14h36
Valentin Makovski (506) 28/12/2009 14h36
Fato seja dito, Brasileiro tem memória curta, ou por ter nascido assim ou por ser ludibriado dia dia, pela mídia. O que vai acontecer no PT, de caso volte Dirceu & Genoino ao poder do partido, aconteceu com DEM, PSDB e toda a torcida no Flamengo, não é excessão de nenhum partido, o próprio Arruda voltou como se nada tivesse acontecido e foi eleito como Governador do DF, se o dinossauro ACM estivesse vivo, com certeça já tinha voltado ao Senado. Por isso, a política não esta em ruinas como muitos dissem ela está ótima. O que esta ainda em ruinas é o Povo Brasileiro que peca pela seu despreparo cultural e sua imensa burrice em não saber separar o que é Política Social com investimentos a médio & longo prazo., Do que Política Social do Voto, quando se distribui N cestas básicas e se ganha o voto assim. 2 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (213)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página