Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/01/2008 - 20h55

Lobão assume Minas e Energia e filho tira licença para explicar denúncias

Publicidade

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília

O recém-nomeado ministro Edison Lobão (Minas e Energia) disse nesta quarta-feira que seu filho e suplente no Senado Edison Lobão Filho (DEM-MA) vai assumir a vaga, mas em seguida deverá se licenciar. O peemedebista defendeu o filho e afirmou que ele se explicará das acusações em que é alvo, inclusive na Justiça.

"Ele [Lobão Filho] assume, sim, mas poderá se licenciar. Ele deseja se defender fora do Senado. Ele não tem nenhuma acusação ligada a órgãos públicos. Ele responderá até na Justiça, se for necessário", disse Lobão.

Lobão substitui o ministro interino Nelson Hubner, que assumiu o comando da pasta em maio no lugar de Silas Rondeau --que deixou o governo por suposto envolvimento em irregularidades, de acordo com investigações da Operação Navalha, da Polícia Federal.

Lobão disse Hubner não será mantido no Ministério de Minas e Energia porque sinalizou que tem "outros desejos de atividades" e não necessariamente ser secretário-executivo. Em relação aos demais cargos associados ao ministério, Lobão disse que irá decidir em parceria com o PMDB e sob orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Nada será feito de afogadilho. Tudo que tiver de fazer, farei com o presidente da República e o ministro José Múcio [Relações Institucionais]", afirmou Lobão. "Vou formar uma equipe o mais competente o possível, sem ter a preocupação de demolir o que se encontra lá. O PMDB será ouvido naquilo que for razoável."

Denúncias

Alvo de investigações no Ministério Público, Lobão é suspeito de promover o desmatamento de um terreno no Lago Norte --região nobre de Brasília-- que pertence à uma área de preservação ambiental.

Desde a indicação do peemedebista para Minas e Energia surgiram acusações contra seu suplente e filho.

Lobão Filho é suspeito de ser sócio oculto da distribuidora de bebidas Itumar, empresa que comandaria uma rede de sonegação de impostos no Maranhão. Esta empresa, de acordo com investigações, teria sonegado R$ 42 milhões desde 2000.

Além disso, Lobão Filho é réu em processo criminal que apura o funcionamento de uma emissora de TV clandestina no município de São Mateus do Maranhão (194 km de São Luís), em 1999.

Bastidores

Lula quis adiar a nomeação de Lobão para amanhã. A Folha Online apurou que o presidente recorreu a Cezar Alvarez, um dos seus auxiliares, para ele comunicar a Múcio que a reunião com Lobão ficaria para quinta-feira pela manhã.

Nesse intervalo, interlocutores contaram que Múcio conversou com o presidente nacional do PMDB, Michel Temer (SP). O peemedebista apelou para que a nomeação ocorresse ainda hoje para evitar desgastes a Lobão.

Múcio procurou Lula e levou o recado do PMDB. Mas antes, o ministro recebeu Lobão no seu gabinete e conversou com ele. Ao saber que só se reuniria com Lula na manhã seguinte, Lobão retornou ao seu gabinete no Senado. E lá esperou até ser chamado pelo presidente, no Planalto.

Oficialmente, a explicação dada para as mudanças na agenda foi o cansaço físico de Lula. Segundo Múcio, o presidente chegou de madrugada de Cuba e teve pouco tempo para descansar.

Comentários dos leitores
Reginaldo Carvalho (76) 19/02/2008 09h14
Reginaldo Carvalho (76) 19/02/2008 09h14
Dar ao filho a suplência do senado demonstra, o pai, estar mais preocupado em manter a boa vida do filho do trabalhar pelo país. Garanto, se deixassem, acomodaria toda a família em repartições públicas, ou próximo a ele para "assessorá-lo". Realmente a política desse país está um nojo. Vale lembrar que os lobãos acima são crias do José Sarney, Até quando, gente, aguentaremos essa canalhice ? A minha consolação é que ainda há homens sérios nesse país como o Rolando Boldrin. Vale a pena ouvir sua mensagem neste video . http://www.rolandoboldrin.com.br/video. sem opinião
avalie fechar
Luiz Stephano De Módena (1226) 19/02/2008 01h15
Luiz Stephano De Módena (1226) 19/02/2008 01h15
GUARUJA / SP
Deixar o DEM tudo bem, desde que expulso conforme solititação do Dep. Onix, sem acordão, que o mandato de Lobão Filho, seja devidamente reinvindicado pelo partido junto ao TSE.
É o mínimo que se espera.
106 opiniões
avalie fechar
Antonio Fouto Dias (2079) 18/02/2008 21h04
Antonio Fouto Dias (2079) 18/02/2008 21h04
Lobão Filho, vinte anos de filiação partidária no PFL, hoje DEM., de repente tem oportunidade de exercer o mandato de Senador da República, sem ter recebido um só voto e deixa o partido. Certamente seguirá o mesmo rumo de seu pai, que ingressou no PMDB, por puro interesse, uma vez que se continuasse no DEM, jamais seria ministro, neste governo. Creio que Lobão Filho irá para um outro partido, também da base aliada, afinal, creio que não se oporia a decisões do próprio pai. 1 opinião
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (271)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página