Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/01/2008 - 09h31

Edison Lobão assume hoje Ministério de Minas e Energia

Publicidade

da Folha Online

O senador Edison Lobão (PMDB-MA) toma posse nesta segunda-feira como novo ministro de Minas e Energia. O nome de Lobão para o cargo foi confirmado na semana passada, após um encontro entre o senador e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Assim que foi confirmado para assumir a pasta, Lobão negou a hipótese de ocorrer um apagão de energia no país. Ele defendeu o que chamou de "otimismo com responsabilidade" e descartou a possibilidade de risco de crise energética. Também se autodenominou um "administrador competente" e capaz de formar uma equipe eficiente.

"Não haverá apagão nenhum. As autoridades do ministério têm tomado todas as providências. Nós temos de ser otimistas com responsabilidade", disse Lobão. "Não passamos pelo risco de apagão."

Lobão vai assumir o lugar de Nelson Hubner, que ficou no cargo interinamente por oito meses, após a saída de Silas Rondeau, em maio do ano passado, por suspeita de envolvimento com uma quadrilha que fraudava licitações.

Hubner afirmou que deixará a pasta com a posse de Lobão. O interino afirmou ainda não ver problema no fato de o novo ministro não ter experiência no setor elétrico. Antes de Lobão ser oficializado ministro, havia rumores de que o nome do senador poderia ser vetado por conta de sua falta de conhecimento do setor num momento em que volta se falar do risco de apagão energético.

"O cargo de ministro é eminentemente político. O que temos que ter é uma pessoa com sensibilidade para lidar com o corpo técnico. O senador é uma pessoa experiente, que já foi governador e lidou não só com a área elétrica, mas com diversas outras. Tem toda condição de fazer uma gestão profissional e boa no ministério", afirmou.

Hubner disse que já havia avisado o presidente Lula de sua saída do ministério e afirmou que não seria bom ele continuar na pasta para evitar especulações sobre o comando de Minas e Energia. "Já tinha dito ao presidente que me afastaria do ministério com a chegada de um novo ministro."

Ele informou que, a pedido do presidente Lula, continuará no governo, mas não disse em que órgão trabalhará. Hubner deve tirar um mês de férias antes de assumir novo cargo. "Temos um projeto político e quero contribuir. Até porque, não tenho ambição de ficar rico", afirmou.

Secretário-executivo

O Ministério de Minas e Energia confirmou na última sexta-feira que Lobão escolheu Márcio Zimmermann como novo secretário-executivo da pasta. Zimmermann é secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do ministério desde janeiro de 2005.

Zimmermann é engenheiro e funcionário de carreira da Eletrosul. É considerado do grupo da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) e tem trânsito no PMDB, partido de Lobão.

Lobão disse que o presidente Lula deu carta branca para que ele escolha a equipe e que pretende concluir as nomeações em, no máximo, um mês. "Vou ouvir o PMDB e outros partidos aliados [para fazer as nomeações]. Tanto quanto for possível, vou [atender às reivindicações do PMDB]. Desde que sejam boas, vou atendê-las."

Comentários dos leitores
Reginaldo Carvalho (76) 19/02/2008 09h14
Reginaldo Carvalho (76) 19/02/2008 09h14
Dar ao filho a suplência do senado demonstra, o pai, estar mais preocupado em manter a boa vida do filho do trabalhar pelo país. Garanto, se deixassem, acomodaria toda a família em repartições públicas, ou próximo a ele para "assessorá-lo". Realmente a política desse país está um nojo. Vale lembrar que os lobãos acima são crias do José Sarney, Até quando, gente, aguentaremos essa canalhice ? A minha consolação é que ainda há homens sérios nesse país como o Rolando Boldrin. Vale a pena ouvir sua mensagem neste video . http://www.rolandoboldrin.com.br/video. sem opinião
avalie fechar
Luiz Stephano De Módena (1226) 19/02/2008 01h15
Luiz Stephano De Módena (1226) 19/02/2008 01h15
GUARUJA / SP
Deixar o DEM tudo bem, desde que expulso conforme solititação do Dep. Onix, sem acordão, que o mandato de Lobão Filho, seja devidamente reinvindicado pelo partido junto ao TSE.
É o mínimo que se espera.
106 opiniões
avalie fechar
Antonio Fouto Dias (2079) 18/02/2008 21h04
Antonio Fouto Dias (2079) 18/02/2008 21h04
Lobão Filho, vinte anos de filiação partidária no PFL, hoje DEM., de repente tem oportunidade de exercer o mandato de Senador da República, sem ter recebido um só voto e deixa o partido. Certamente seguirá o mesmo rumo de seu pai, que ingressou no PMDB, por puro interesse, uma vez que se continuasse no DEM, jamais seria ministro, neste governo. Creio que Lobão Filho irá para um outro partido, também da base aliada, afinal, creio que não se oporia a decisões do próprio pai. 1 opinião
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (271)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página