Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/07/2003 - 19h19

Fundado em 1984, MST tem 1,5 milhão de integrantes

da Folha Online

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foi fundado em 1984 em Cascavel (PR), durante um encontro nacional de trabalhadores do campo. Um ano depois, o MST já estava organizado em quase todos os Estados do país ( hoje o movimento só não tem representantes nos Estados do Amazonas, Roraima, Acre e Amapá).

Atualmente, o MST tem 1,5 milhão de pessoas afiliadas. Segundo o movimento, cerca de 350 mil famílias foram assentadas até hoje e outras 80 mil vivem em acampamentos.

Segundo estatuto do MST, não basta a concessão de terras por parte do governo, mas também a obtenção de crédito, moradia, assistência técnica, escolas e postos de saúde.

O movimento diz ainda que sua luta não é apenas contra o latifúndio e a oligarquia, mas contra um modelo econômico a que chama de "neoliberal". Para o MST, a reforma agrária só acontece nas "propagandas do governo".

Em abril de 1997, o MST organizou a "Marcha Nacional por Emprego, Justiça e Reforma Agrária", que partiu de vários Estados em direção a Brasília, em alusão ao assassinato de 19 trabalhadores em Eldorado dos Carajás (PA), ocorrido um ano antes. Em agosto de 2000, o movimento organizou um congresso que reuniu 11 mil sem-terra, também no Distrito Federal.

Educação

De acordo com a direção do MST, hoje há cerca de 160 mil crianças cursando da primeira a quarta série do ensino fundamental nas 1800 escolas públicas dos assentamentos. O movimento diz também que, em conjunto com a Unesco e 50 universidades, desenvolve um programa de alfabetização de aproximadamente 19 mil jovens e adultos nos assentamentos.

Neste ano, durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre (RS), o linguista norte-americano Noan Chomsky elogiou o MST. "É um privilégio estar aqui com vocês, cujas atividades acompanho há muito tempo. O que vocês conquistaram mostra que é possível construir um mundo melhor", disse.

Radicalismo

Apesar da simpatia de intelectuais e entidades internacionais, o MST enfrenta forte oposição do setor rural do país. Proprietários de terra ameaçados por inavasões dos sem-terra normalmente recorrem a milícias armadas para proteger suas propriedades. Integrantes do MST chegaram a invadir uma fazenda do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso , no município de Buritis (MG), no ano passado.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página