Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/04/2005 - 13h33

Fontelles pede investigação criminal contra Meirelles

Publicidade

FELIPE RECONDO
ANA PAULA RIBEIRO
da Folha Online, em Brasília

O procurador-geral da República, Cláudio Fontelles, encaminhou nesta terça-feira ao STF (Supremo Tribunal Federal) um pedido de abertura de investigação criminal contra o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

O parecer de Fontelles envolve crime contra o sistema financeiro, evasão de divisas e crime eleitoral. O pedido de abertura de inquérito será analisado pelo ministro Marco Aurélio Mello.

Os fatos citados datam da época em que Meirelles presidiu o BankBoston. Nas investigações feitas pela CPI do Banestado, o presidente da comissão, Antero Paes de Barros (PSDB-MT), disse ter detectado que Meirelles ocultou da Receita Federal ser dono da Silvania Empreendimentos, empresa localizada no exterior.

As investigações sobre Meirelles envolvem ainda uma acusação de sonegação fiscal na declaração apresentada à Receita Federal no período em que se candidatou a deputado federal por Goiás. Denúncia semelhante derrubou o ex-diretor de Política Monetária do BC Luiz Augusto Candiota.

Banestado

O Banco Central divulgou hoje uma nota em que afirma que o presidente da instituição, Henrique Meirelles, "encara com tranqüilidade e serenidade o pedido do Ministério Público".

De acordo com a nota do BC, Meirelles diz que todos os seus atos, tanto na carreira no setor privado quanto no públicos, foram legais. "Por fim, considera positiva a possibilidade de manifestação definitiva da Justiça sobre supostas irregularidades nunca comprovadas."

As denúncias contra Meirelles já tinham surgido no ano passado, durante a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Banestado.

Leia mais
  • Aldo diz que Meirelles fica no cargo apesar de investigação
  • Líder do PSDB pede convocação de Meirelles

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o Henrique Meirelles
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


    Voltar ao topo da página