Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/07/2005 - 09h43

Playboy nega convite para Karina posar nua

Publicidade

KÁTIA BRASIL
da Agência Folha, em Manaus

O redator-chefe da "Playboy", Ricardo Villela, confirmou que a revista teve a idéia do ensaio com Fernanda Karina Somaggio, mas que nenhuma proposta foi feita à ex-secretária do publicitário Marcos Valério, que ganhou notoriedade ao denunciar o suposto esquema de corrupção envolvendo o PT e seu ex-patrão.

A própria Karina, porém, disse ontem à Folha que recebeu e já aceitou o convite da revista. Ela diz querer cachê de R$ 2 milhões, "para sua campanha eleitoral".

Karina, 32, justifica assim sua decisão: "O fato de posar para a revista é pela política. É tudo pela política. Não tenho tino artístico, mas preciso de dinheiro para minha campanha eleitoral".

Ela afirmou que seu advogado, Rui Pimenta, trata das negociações com a revista e que o valor do contrato não sairia por menos de R$ 2 milhões. "Com esse valor daria para fazer minha campanha e pagar meu advogado", afirmou Karina, que quer se candidatar a deputada federal em 2006. Ela diz ter sido procurada pelo PSDB.

Ela afirmou que foi sondada três vezes pela revista e que só concordou porque não terá recursos para financiar sua campanha. "Não tenho dinheiro, não estou trabalhando", disse ela, que não sabe se vai continuar no emprego após o período de férias --que acaba hoje. "É melhor eu bancar minha candidatura ganhando uma grana [da revista] do que ser bancada por gente que vai querer algo em troca. Quero entrar lá [no Congresso] limpa", disse a secretária.

Sobre a reação de seu marido à idéia de posar nua na "Playboy", ela disse ter recebido "carta branca": "Ele achou maravilhoso".

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Fernanda Karina Somaggio
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página