Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/08/2005 - 11h22

STF nega liminar a empresário e mantém quebra de sigilos

Publicidade

da Folha Online

O STF (Supremo Tribunal federal) negou ontem pedido de liminar impetrado pelo empresário Arthur Wascheck Neto e manteve a quebra de seus sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático.

A quebra dos sigilos de Wascheck foi pedida pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) mista dos Correios. O empresário é um dos donos da empresa Comam (Comercial Alvorada de Manufaturados), que fornecia material de saúde e informática para os Correios.

Wascheck assumiu a autoria da gravação que deu origem às denúncias de suposto esquema de corrupção nos Correios.

Na decisão, o Supremo ressaltou que "o requerimento de quebra de sigilo feito pela comissão estaria fundamentado por circunstâncias específicas do empresário relacionadas com o objeto de investigação da CPMI e que não houve demonstração efetiva de incapacidade da CPMI em guardar sigilo dos dados que lhe são transferidos".

Com informações do STF

Leia mais
  • CPI do "Mensalão" decide convocar Marcos Valério e Cristiano Paz
  • Jefferson chama Marcos Valério de "embaixador do Brasil em Portugal"

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a CPI dos Correios
  • Leia a cobertura completa sobre o caso do "mensalão"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página