Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/08/2005 - 06h48

Marcos Valério depõe hoje na CPI do "Mensalão"

Publicidade

da Folha Online

A CPI do "Mensalão" vai ouvir nesta terça-feira, a partir das 11h30, o depoimento do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, apontado como o operador do "mensalão".

O objetivo da comissão, criada no início de julho, é investigar o suposto pagamento de mesadas pelo PT a parlamentares do PP e do PL em troca de apoio ao governo e, também, as suspeitas de compra de votos, em 1997, para aprovar a emenda constitucional que possibilitou a reeleição para os chefes do Executivo.

A expectativa para o depoimento de Marcos Valério é de que o publicitário faça novas revelações sobre o esquema do "mensalão". Ele deve comprometer ainda mais a situação do ex-ministro da Casa Civil, deputado José Dirceu (PT-SP).

Segundo Valério, Dirceu não só sabia das operações financeiras realizadas por suas empresas em parceria com o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, como também garantia o aval político para a obtenção de empréstimos bancários.

Delúbio Soares foi afastado do PT neste sábado. O afastamento deverá durar até a conclusão das investigações pela Comissão de Ética do partido.

O ex-tesoureiro antecipou-se à reunião do diretório nacional, realizada no sábado para avaliar os próximos passos do partido para sanar sua pior crise em 25 anos, e enviou, por carta, seu pedido de afastamento.

O suposto esquema do "mensalão" foi denunciado pelo deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ). Ele é acusado de gerir um esquema de corrupção dentro dos Correios para pagamento de propinas. A denúncia veio à tona com a divulgação de uma fita de vídeo em que o ex-diretor do Departamento de Contratação e Administração de Material dos Correios Maurício Marinho detalha a dois empresários o esquema.

Em contrapartida, Jefferson concedeu entrevista onde denunciou a existência do suposto pagamento de mesada a parlamentares da base.

Portugal Telecom

Na semana passada, durante o depoimento de Dirceu ao Conselho de Ética da Câmara, Jefferson fez novas denúncias envolvendo o ex-ministro e a Portugal Telecom.

Roberto Jefferson sustentou que Dirceu autorizou a ida de dois emissários do PT e do PTB a Portugal para negociar com representantes da empresa de telecomunicações a liberação de recursos para o saneamento das dívidas dos dois partidos.

A empresa nega a informação. A Portugal Telecom é uma multinacional que detém participação em várias empresas de comunicação no país.

O publicitário Marcos Valério confirmou que viajou com Emerson Palmieri, tesoureiro informal do PTB, para Portugal para conversar com a Portugal Telecom, mas negou que a viagem tenha sido para tratar de ajuda financeira a partidos políticos.

Segundo o publicitário, a empresa portuguesa estaria interessada em comprar a Telemig Celular, cujas contas de publicidade eram coordenadas pela SMPB e DNA, empresas de Valério. Segundo ele, Palmieri foi para Portugal porque estava "muito estressado".

A Portugal Telecom confirmou que teve contato com o empresário brasileiro para discutir a aquisição da operadora de telefonia Telemig.

Leia mais
  • Juiz livra Dirceu de depoimento em Santo André
  • Sacadores de Duda trabalhavam para doleiro
  • Advogado da Gtech entra com liminar e se livra de depor na CPI dos Bingos

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a CPI dos Correios
  • Leia a cobertura completa sobre o caso do "mensalão"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página