Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/01/2006 - 14h23

Laudo preliminar do IML de Brasília aponta que general se suicidou no Haiti

Publicidade

da Folha Online

Um laudo preliminar do IML (Instituto Médico Legal) de Brasília divulgado nesta quarta-feira aponta que o general Urano Teixeira da Matta Bacellar, encontrado morto no último sábado no quarto do hotel onde morava, em Porto Príncipe (capital do Haiti), se suicidou.

O IML deve ainda concluir o laudo que poderia indicar se o general ingeriu alguma substância química. Até agora, a perícia comprovou o tiro e não constatou nenhuma lesão de defesa, o que poderia indicar um homicídio.

O corpo do militar chegou ontem à Base Aérea de Brasília e foi levado ao IML, onde foi embalsamado. Na manhã de hoje, seguiu para o Rio de Janeiro, onde foi enterrado no cemitério Memorial do Carmo.

Missão de paz

O vice-presidente da República, José Alencar, anunciou hoje o segundo nome que será apresentado à ONU (Organização das Nações Unidas) para assumir o comando da missão de paz no Haiti. O general Jeannot Jansen da Silva Filho, vice-chefe do Departamento de Logística do Exército em Brasília, vai concorrer ao posto junto com o general José Elito Carvalho Siqueira, indicado anteontem.

A ONU definirá entre os dois para substituir o general Urano Teixeira da Matta Bacellar. "Os dois nomes serão apresentados hoje à ONU. Os dois contam com o apoio do governo. Sabemos que qualquer um deles está em condições de realizar o trabalho", afirmou Alencar.

Segundo o vice-presidente, o governo brasileiro não tem preferência e vai caber à ONU a escolha. "O comando não é só do contingente brasileiro, é de todos os contigentes dos países que estão lá [no Haiti]. Os dois nomes serão submetidos à ONU e ela que decide."

Segundo Alencar, as forças brasileiras deverão ficar no Haiti até março. "As eleições no Haiti ocorrerão em fevereiro e deve haver segundo turno. É natural que as forças de paz fiquem mais tempo no país para que haja segurança e a manutenção da paz e da ordem."

O vice-presidente confirmou que há atrasos no repasse de recursos da ONU para as forças que estão no Haiti e afirmou que este não é o momento de pressionar ou questionar a ONU ou o papel da missão brasileira.

Cerimônia

José Alencar participou nesta manhã da cerimônia de honras fúnebres em homenagem ao militar na Base Aérea de Brasília. O corpo do general já seguiu para o Rio de Janeiro, onde será enterrado ainda hoje.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a primeira-dama, Marisa Letícia, participaram da cerimônia, além dos três comandantes militares, os ministros da Segurança Institucional, Jorge Félix, e das Relações Exteriores, Celso Amorim, e o embaixador do Haiti no Brasil, Antonio Fénelon.

Em nome do presidente Lula e do ministro da Defesa, o comandante do Exército, general Francisco Roberto de Albuquerque, elogiou Bacellar ao afirmar que ele era "um soldado por vocação, profissional capaz, que deixa em todos nós a dor pela perda precoce, irreparável e difícil de ser aceita".

Albuquerque disse ainda que com a morte de Bacellar não só sua família perdeu mas o Exército e, principalmente, o Brasil. Segundo ele, esta perda vai estimular o trabalho do Exército no que se refere à sua atuação nas forças de paz. "A missão será cumprida. Nós não abateremos."

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que participou da cerimônia, também lamentou a morte de Bacellar e afirmou que esteve no Haiti em setembro com o general, que, segundo ele, fazia "um trabalho exemplar".

Buarque disse ainda que não sentiu por parte do general qualquer tipo de arrependimento por ter assumido o comando das tropas no Haiti.

Leia mais
  • Brasil indica segundo nome para assumir missão no Haiti
  • Após cerimônia em Brasília, corpo de general morto no Haiti segue para o Rio
  • Alencar diz que não é hora de recuar em missão no Haiti

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a morte de Urano Teixeira da Matta Bacellar
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página