Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/07/2006 - 15h23

Biscaia defende afastamento de membros da CPI envolvidos com quadrilha

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O presidente da CPI dos Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), defendeu hoje o afastamento do deputado Marcondes Gadelha (PSB-PB) e do senador Jonas Pinheiro (PFL-MT) da comissão. "Já que os nomes se tronaram públicos entendo que eles devem se afastar [da CPI]", disse.

Gadelha e a mulher de Jonas Pinheiro, a deputada Celcita Pinheiro (PFL-MT), teriam recebido dinheiro da quadrilha para apresentar emendas ao Orçamento da União destinada à compra de ambulâncias.

Biscaia confirmou que nos documentos em poder da CPI, os dois deputados são citados. Ele não quis especificar, no entanto, se a acusação contra os parlamentares partiu do empresário Luiz Antonio Trevisan Vedoin, um dos donos da Planam, no depoimento que prestou à Justiça de Mato Grosso, ou em conversas telefônicas interceptadas pela Polícia Federal na Operação Sanguessuga.

O presidente da CPI ressaltou que o fato de terem sido citados não significa que os dois deputados realmente participaram do esquema. "A participação deles está sendo investigada, mas a presença deles na CPI se tornou incompatível", disse.

O sub-relator de sistematização e controle da CPI, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), também defendeu o afastamento de Gadelha e Jonas Pinheiro da comissão.

"Se houver o envolvimento de algum parlamentar no esquema de corrupção esse parlamentar deveria se declarar impedido de participar dos trabalhos", disse.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página