Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/07/2006 - 15h42

PSB e PFL se recusam a afastar membros da CPI citados por sanguessugas

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

Apesar da pressão do comando da CPI dos Sanguessugas, líderes do PFL e PSB afirmaram hoje que não irão afastar da comissão os dois parlamentares acusados de integrar a máfia das ambulâncias. O deputado Marcondes Gadelha (PSB-PB) e o senador Jonas Pinheiro (PFL-MT), membros da CPI, tiveram seus nomes envolvidos com o esquema.

Conforme parlamentares que tiveram acesso aos documentos da investigação, Gadelha e a mulher do senador Jonas Pinheiro, a deputada Celcita Pinheiro (PFL-MT), teriam recebido dinheiro da quadrilha para apresentar emendas ao Orçamento destinada à compra de ambulâncias.

O líder do PFL no Senado, José Agripino Maia (RN), disse que Jonas Pinheiro tem "toda fé do partido" e que não irá substituí-lo da CPI até que as denúncias sejam comprovadas. "Ele não será afastado, o partido confia no discernimento dele. Agora, se ocorrer culpa, aí vamos tomar as nossas providências", disse.

Alexandre Cardoso (RJ), líder do PSB na Câmara, também disse que não irá substituir o deputado Marcondes Gadelha.

Segundo ele, Gadelha terá a oportunidade de se explicar na própria CPI. Depois que a denúncia veio à tona, Gadelha procurou o líder para explicar que não teve participação na quadrilha e que já mandou levantar todas as suas emendas nos últimos cinco anos para comprovar isso.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página