Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/08/2006 - 12h43

Izar quer mudar regras para acelerar processos contra sanguessugas

Publicidade

FELIPE RECONDO
da Folha Online, em Brasília

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), pretende alterar o regimento para acelerar o trâmite dos processos por quebra de decoro que serão abertos contra os parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas.

Izar quer alterar um parâmetro para a definição de prazos para que os investigados se defendam. Pela regra atual, o deputado processado tem cinco sessões plenárias para apresentar sua defesa. Como o Congresso Nacional tende a ficar praticamente parado por conta das eleições, não haverá sessões plenárias suficientes em tempo hábil.

O presidente do Conselho quer que o prazo seja de cinco sessões do próprio Conselho de Ética. "Se isso for feito, vou marcar sessão todo o dia", afirmou Izar. No entanto, para que isso seja feito, o plenário precisa aprovar a mudança nos próximos dois dias, durante o esforço concentrado.

Independentemente da alteração, Izar pretende convocar os integrantes do Conselho para pelo menos duas sessões por semana. Com isso, espera concluir os processos até o final do ano.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página