Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/08/2006 - 16h56

Líder do PMDB quer depor à CPI dos Sanguessugas

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O líder do PMDB no Senado, Ney Suassuna (PB), pediu hoje para ser ouvido pela CPI dos Sanguessugas. O senador é investigado por suposta participação no esquema das ambulâncias.

Se permitir que o senador apresente sua defesa pessoalmente, a CPI poderá abrir uma brecha para que os 91 acusados façam o mesmo, o que pode atrasar a apresentação do relatório --prevista para a próxima semana.

O sub-relator de investigação parlamentar da CPI, deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), impediu que Suassuna apresentasse hoje sua defesa, alegando que a CPI tem outro compromisso, mas disse que vai discutir o assunto com o presidente da comissão, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ).

A comissão ouve hoje assessores de parlamentares que foram apontados pela PF como integrantes do esquema. Suassuna disse que vai acompanhar o depoimento de Marcelo Cardoso de Carvalho, que trabalhou no seu gabinete e é apontado como um dos que atuavam para a quadrilha.

Além de Suassuna, o deputado Josias Quintal (PSB-RJ) também pediu para ser ouvido pessoalmente. Até agora, a comissão só estava aceitando as defesas por escrito.

Leia mais
  • Veja lista dos 57 parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas
  • Veja nova lista de 33 parlamentares suspeitos de integrar a máfia

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página