Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/08/2006 - 20h37

Heloísa critica nova Constituinte e ineficácia do governo em habitação

Publicidade

SEBASTIÃO MONTALVÃO
da Agência Folha, em Goiânia

A candidata do PSOL à Presidência, Heloísa Helena, disse hoje que a proposta do presidente Lula, de uma Assembléia Constituinte para a aprovação da reforma política, poderia custar "rios de dinheiro".

A senadora demonstrou ser contrária à proposta. "Não vejo motivos para isso. Não há necessidade porque o Congresso tem a obrigação de fazer isso [uma reforma política]."
Sem a Assembléia Constituinte, disse Heloísa Helena, "ainda vamos deixar de gastar rios de dinheiro com a convocação".

Habitação

Em visita hoje a um assentamento em Goiânia (GO), a senadora fez críticas à política habitacional do governo federal.

"É preciso estar diante de um governo muito irresponsável para permitir um déficit de 7 milhões de unidades habitacionais no país. O custo para garantir a dignidade dessas famílias é de R$ 80 bilhões. Não é nada perto dos R$ 600 bilhões que se gasta com pagamentos de juros."

Heloísa Helena também afirmou que o governo petista deu continuidade ao governo FHC. "São 12 anos de um mesmo projeto. De governos que fizeram a opção de jogar mais da metade dos recursos do país na mão dos banqueiros, os parasitas da economia que não geram emprego, não pagam Imposto de Renda nem CPMF."

A senadora chamou de "gentalha sem-vergonha" os políticos envolvidos na máfia dos sanguessugas. "Para implantar um projeto amplo de habitação, é necessário dar um basta nessa gentalha sem-vergonha que extrapolou todo o limite ao roubar dinheiro de ambulâncias, do transporte escolar e da inclusão digital."

Sobre a campanha eleitoral, Heloísa Helena afirmou que espera a presença de todos candidatos nos debates. "Espero a presença de todos para podermos discutir, olho no olho, as propostas de cada um para o país. Encaro o não-comparecimento como um desrespeito aos concorrentes e, principalmente, aos eleitores."

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre eleições de 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página