Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/08/2006 - 12h29

Funcionário de deputado diz que dinheiro era para pagar contas

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

Vander Rosa, chefe-de-gabinete do deputado Júnior Betão (PL-AC), explicou, por meio da assessoria de imprensa, que o dinheiro encontrado no gabinete do parlamentar seria usado para o pagamento de suas contas pessoais.

Acionado por um funcionário da limpeza da Câmara, a Polícia Legislativa encontrou hoje no gabinete de Betão R$ 2.800,00 em dinheiro. Como o deputado está entre os investigados pela CPI dos Sanguessugas, a notícia causou alvoroço no Congresso. Ainda mais porque o chefe-de-gabinete é apontado como a pessoa que teria recebido R$ 170 mil da quadrilha dos sanguessugas.

Vander Rosa disse que o valor encontrado no gabinete foi sacado por ele ontem para pagamentos de despesas pessoais, como a prestação de um carro, o aluguel de um apartamento e outras contas.

Segundo ele, a prestação do carro, no valor de R$ 1.400,00, é paga no Banespa, que não aceitaria cheque para essa finalidade. Vander Rosa deve se explicar ainda hoje para a Polícia Legislativa da Câmara.

Leia mais
  • Funcionário da Câmara encontra R$ 2.800 em gabinete de deputado

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página