Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/08/2006 - 17h59

Presidente do PSB diz que Gabeira é "cretino" e que vai processá-lo

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, disse nesta segunda-feira que vai processar o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ). O deputado acusou o PSB de ter usado o Ministério da Ciência e Tecnologia para liberar emendas destinadas à compra de ônibus para o programa de Inclusão Digital, num esquema semelhante ao das ambulâncias.

Pelo esquema, as prefeituras compravam os ônibus a preços superfaturados de empresas determinadas. O dinheiro era repartido entre integrantes do esquema.

Amaral chamou Gabeira de "cretino" e "mau-caráter" e disse que vai "imediatamente" ingressar no STF (Supremo Tribunal Federal) com uma queixa-crime para que o deputado confirme na Justiça as acusações. "Não se pode fazer uma acusação desse nível a um partido. Ele vai ter que confirmar na Justiça e depois comprovar o que disse", afirmou.

O presidente nacional do PSB disse que vai procurar amanhã o presidente da CPI dos Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), para obter mais informações sobre as denúncias envolvendo o partido. "Quero saber se a CPI virou um palanque eleitoral, o que irá desmoralizá-la", disse.

Explicações

Amaral disse que quando ministro --ele respondeu pela pasta de 2003 até janeiro de 2004-- não poderia ter liberado recursos para a compra de ônibus do programa de Inclusão Digital porque ele não tinha dotação orçamentária. Segundo ele, somente em 2004 o programa contou com verba.

O presidente nacional do PSB também informou que não conhece ninguém da Planam ou da KM, duas empresas envolvidas no esquema. Sobre outra acusação de Gabeira, Amaral disse que é natural que deputados do PSB tenham destinado verbas para a pasta de Ciência e Tecnologia, pois era o único ministério do partido. "Isso não tem nada de ilegal", disse.

Ele afirmou que o deputado Eduardo Campos --que está licenciado da presidência do partido, em campanha para o governo de Pernambuco-- já lhe procurou informando que quando ministro (de 2004 a 2005) liberou recursos para a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), mas de forma genérica e não específica para os ônibus.

Amaral vai ouvir todos os citados por Gabeira nos próximos dias. São eles: Paulo Baltazar (RJ), Alexandre Cardoso (RJ) e Renato Casagrande (ES). Segundo Gabeira, todos destinaram emendas para a compra de ônibus.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página