Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/08/2006 - 13h44

CPI aprova relatório que recomenda cassação de 72 parlamentares

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

Os membros da CPI dos Sanguessugas aprovaram nesta quinta-feira o relatório parcial da comissão que recomenda a abertura de processo de cassação contra 72 parlamentares envolvidos na máfia das ambulâncias (Veja lista completa).

O único voto contrário ao relatório foi do senador Wellington Salgado (PMDB-MG). Houve também uma abstenção, do senador Sibá Machado (PT-AC).

Dos parlamentares denunciados pela CPI, três são senadores e os demais, deputados. Os nomes serão encaminhados para os Conselhos de Ética da Câmara e do Senado, para serem submetidos a processo de cassação de mandato.

Os deputados e senadores são acusados de terem recebido dinheiro em troca de apresentar emendas ao Orçamento da União para a compra de ambulâncias. Os recursos eram desviados quando liberados para as prefeituras.

A comissão não encontrou provas contra 18 dos 90 parlamentares que foram investigados por suposta participação com a máfia das ambulâncias. Os processos abertos contra esses parlamentares serão arquivados "por falta de provas", conforme o relatório parcial divulgado hoje.

O deputado Saraiva Felipe (PMDB-MG), que está na lista dos inocentados, poderá ser novamente investigado pela CPI. Ele poderá entrar numa segunda etapa, mas por sua gestão no Ministério da Saúde.

O empresário Luiz Antônio Trevisan Vedoin, da Planam, teria afirmado que como parlamentar Saraiva não participou do esquema, mas não o isentou como ministro. É o ministério quem liberava o dinheiro das emendas que eram desviadas.

Base de apoio

Dos 72 parlamentares denunciados, 62 são da base de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Congresso. A oposição tem oito parlamentares denunciados. No total, nove partidos têm integrantes envolvidos no esquema.

PL, PTB e PP têm o maior número de denunciados. Os três partidos --que participam da base de apoio do presidente-- também foram protagonistas do escândalo do "mensalão", pelo qual o governo supostamente pagava aos deputados para ter seus projetos aprovados no Congresso.

O PL lidera a lista com 18 citados. Na seqüência aparecem: PTB (16), PP (13), PMDB (8), PFL (7), PSB (4), PT (2), PRB (1), PSC (1) e sem partido (2).

Dos 18 parlamentares que foram absolvidos pela CPI dos Sanguessugas, 11 são da base aliada do governo e sete da oposição.

O PP tem o maior número de parlamentares que escaparam de um processo de perda de mandato porque a comissão não encontrou provas contra eles. Cinco foram absolvidos. Na seqüência aparecem: PMDB (3), PSDB (3), PFL (2), PPS (1), PSC (1), PTB (1) e PSB (2).

PL, PTB, PP, PMDB, PSB, PT, PRB são da base aliada e PSDB, PFL, PSC e PPS, da oposição.

Leia mais
  • CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página