Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/08/2006 - 19h51

PT pede ação contra ONG por campanha "Não Vote em Mensaleiro"

Publicidade

FELIPE NEVES
da Folha Online

O diretório paulista do PT apresentou nesta segunda-feira, ao Ministério Público Eleitoral, uma notícia-crime contra a associação Transparência Brasil que, em campanha publicada em seu site na internet, "exorta o eleitor a não votar em mensaleiros, sanguessugas e implicados em outros escândalos".

Segundo o manifesto "Não Vote em Mensaleiro", que não menciona partidos, deputados indiciados criminalmente tentam a reeleição para conseguir foro especial.

"Alvos de processos movidos pelo Ministério Público, indivíduos responsáveis tanto pela distribuição quanto pela recepção de subornos buscam na reeleição proteção contra a Justiça", diz o texto.

Na opinião do PT, no entanto, a associação se excedeu na campanha. A revolta do partido é contra a lista de todos os candidatos à reeleição, onde a ONG mostra ao eleitor quais deles respondem a processos na Justiça.

O partido alega, no pedido de notícia-crime, assinado pelo presidente do diretório paulista, Paulo Frateschi, que se baseou na "presunção da inocência" para incluir "os nomes de deputados absolvidos por seus pares na sua chapa de candidatos a deputado federal".

Para ele, a campanha da associação "acaba por tisnar a honra e a moral de seus candidatos", o que "inverte o princípio da presunção de inocência" pois, na lógica da campanha, "ter sobre si qualquer suspeita já significa ser culpado".

O diretor-executivo da "Transperência Brasil", Claudio Weber Abramo, disse que a associação não foi notificada oficialmente sobre o pedido do PT.

Informado pela Folha Online, Abramo afirmou que a revolta do partido não tem sentido. Segundo ele, o manifesto não tem nada de ilegal, é apenas uma sugestão aos eleitores.

"O que digo é que não se deve votar em mensaleiros", afirmou. "Não existe lista nenhuma. Eu me referi aos indivíduos que têm indiciamento criminal".

O PT também acusa a Transparência Brasil de chamar os candidatos de "mensaleiros, vampiros e outros animais da mesma família". No manifesto, os termos não foram incluídos, mas Abramo admitiu que já pode ter usado em alguma entrevista.

Segundo ele, as expressões são usadas de forma metafórica, associadas às operações que a Polícia Federal deflagra para tentar desbaratar quadrilhas acusadas de corrupção, como sanguessugas.

Além da notícia-crime, o PT também ingressou com pedido de liminar para que o conteúdo da campanha fosse retirado do ar.

Especial
  • Leia a cobertura completa das eleições 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página