Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/08/2006 - 17h48

Fim do voto secreto no Congresso não está em pauta no Planalto, diz Tarso

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O governo ainda não discutiu se irá apoiar a emenda constitucional que acaba com o voto secreto no Congresso. O ministro Tarso Genro (Relações Institucionais) disse hoje que "o governo não trabalhou essa questão".

No Congresso, os apelos para que a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) seja aprovada se intensificaram com a descoberta de que 72 parlamentares estão envolvidos com a máfia dos sanguessugas. A avaliação entre parlamentares é que esses congressistas não serão punidos se a votação for secreta, a exemplo do que ocorreu com os denunciados no mensalão.

Um dos defensores do fim do voto secreto, o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), disse hoje que vai procurar o governo para que haja um esforço em prol da emenda constitucional.

Para Gabeira, se houver vontade política, a medida pode ser aprovada rapidamente. "O governo pode tirar da pauta as medidas provisórias e projetos com urgência para abrir espaço para a discussão do fim do voto secreto", defendeu.

Em consonância com o governo, o presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), sinalizou hoje que dificilmente a emenda será votada. "Vou apresentar aos líderes [a proposta de priorizar a emenda]. A votação exige um esforço partidário amplo, um acordo e o destrancamento da pauta", disse.

Leia mais
  • Folha sabatina nesta semana candidatos ao governo de Minas

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página