Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/08/2006 - 17h28

Alckmin lança pacote anti-corrupção e deve subir tom dos ataques

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Como primeira resposta às reclamações de caciques pefelistas, o candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin, vai lançar nesta semana um pacote de medidas anti-corrupção em busca de eleitores decepcionados com os recentes episódios do mensalão e da máfia dos sanguessugas.

A estratégia sugerida pelo comando da campanha é que Alckmin adote um discurso mais agressivo quando for mencionar os episódios de corrupção no governo Lula.

A oposição quer explorar imagens de Lula na campanha de 2002, quando prometia uma "limpeza ética" no governo, e confrontá-las com as fraudes investigadas no seu atual governo.

"Geralmente se corre atrás do combate à corrupção depois que ela já aconteceu. Nós queremos o contrário: já incluir no programa de governo ações que impeçam essa roubalheira dos últimos anos", disse Alckmin.

O pacote vai incluir medidas como a modernização do Estado, desburocratização de serviços públicos e controle de gastos. Segundo o tucano, o governo Lula não conseguiu dar um freio nos gastos públicos, o que permitiu "tantos episódios de corrupção em um só governo".

Leia mais
  • Estilo de Alckmin irrita aliados do PFL, que pedem para tucano "bater" em Lula

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Enquete: o horário eleitoral muda ou não o seu voto?
  • Enquete: você assiste ao horário eleitoral gratuito?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página