Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/08/2006 - 15h23

Suplente de "sanguessuga" toma posse com plenário vazio

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O suplente do ex-deputado Coriolano Sales (PFL-BA), que renunciou para evitar um processo no Conselho de Ética, assumiu hoje o mandato diante de um plenário vazio. Roland Lavigne (PSDB-BA) tomou posse tendo como testemunhas apenas três deputados, entre eles Carlos Nader (PL-RJ), acusado de envolvimento com a máfia dos sanguessugas.

Funcionários da Câmara ainda tentaram aumentar o quórum da sessão, mas apenas três deputados foram localizados, além de Nader, Paes Landim (PTB-PI) e Dr Heleno (PSC-RJ).

Como todos estavam na mesa, não tinha ninguém sentado nas cadeiras do plenário para acompanhar o juramento de Lavigne.

Além do constrangimento de assumir o mandato com um plenário vazio e ao lado de um parlamentar acusado de envolvimento com o escândalo dos sanguessugas, Lavigne ainda teve a sessão presidida pelo deputado Dr Heleno. No final de semana, seguranças do deputado fluminense foram acusados de agredir um popular que chamou o deputado de "sanguessuga".

O deputado Roland Lavigne disse que não se incomodou com a ausência de quórum e com as companhias. "Acho que a reforma política vai corrigir isso", arriscou.

O próprio deputado foi acusado pela Funai em 1994 de fazer laqueadura em índias em troca de votos.

Leia mais
  • CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista
  • CPI dos Sanguessugas absolve 18 parlamentares

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: os depoimentos dos empresários sanguessugas devem ser usados como provas?
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página