Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/08/2006 - 12h46

Alckmin condena manobra de Renan para evitar processos de sanguessugas

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O candidato do PSDB ao Planalto, Geraldo Alckmin (PSDB), condenou hoje a manobra do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que pode atrasar, em pelo menos um mês, a instalação dos processos contra os três senadores acusados de envolvimento com a máfia dos sanguessugas.

Alckmin disse que corrupção é uma "praga" que precisa ser extirpada, mas o pior dos mundos é corrupção com impunidade. "Isso é ainda mais grave", comentou.

Três senadores foram acusados pela CPI dos Sanguessugas de envolvimento com a quadrilha das ambulâncias. Serys Slhessarenko (PT-MT), Ney Suassuna (PMDB-PB) e Magno Malta (PL-ES) teriam recebido dinheiro em troca de apresentar emendas ao Orçamento.

Até o final da semana, o candidato deve lançar um pacote com medidas para combater a corrupção. O anúncio estava previsto para hoje, mas Alckmin afirmou que ainda está recebendo contribuições para a finalização do texto.

Leia mais
  • Lula mantém chance de vencer no 1º turno e tem aprovação recorde, diz Datafolha
  • Tarso Genro diz que FHC está desequilibrado
  • Maioria não assiste a propaganda eleitoral

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Enquete: o horário eleitoral muda ou não o seu voto?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página