Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/08/2006 - 19h24

Oposição propõe acordo para limpar pauta e analisar o fim do voto secreto

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

A oposição decidiu abrir mão de discutir as medidas provisórias em pauta na Câmara para tentar aprovar a emenda que acaba com o voto secreto nos processos de cassação de mandato.

O líder da minoria na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), disse que a tarefa de analisar com profundidade as MPs será do Senado. Com isso, ele espera que as 20 MPs que trancam a pauta sejam aprovadas em apenas um dia, o que possibilitará que outros assuntos sejam colocados em discussão.

Pela Constituição, as MPs têm prioridade na pauta do plenário, por isso é preciso um acordo para que sejam votadas. "Fizemos um acordo com os senadores, nos transformaremos em Casa revisora e o Senado fará as mudanças nas MPs. Não queremos abrir mão de nossas obrigações, mas destrancar a pauta", disse.

Os parlamentares envolvidos com o escândalo dos sanguessugas serão os principais prejudicados com a votação da emenda que acaba com o voto secreto. A avaliação é que os mensaleiros só foram absolvidos porque a votação era secreta.

Segundo Aleluia, a Câmara irá analisar melhor as MPs quando elas retornarem do Senado.

Além da emenda que acaba com o voto secreto, a oposição também se propõe a discutir a lei geral das micro e pequenas empresas, o projeto que cria a loteria Timemania e um projeto que trata de depósitos judiciais dos Estado.

A proposta da oposição ainda precisa ser discutida com os governistas. "Nós tentamos ouvi-los, mas o governo não fala. Vamos fazer a nossa parte, se o fim do voto secreto não for aprovado não será nossa culpa", disse Aleluia.

O líder do governo na Câmara, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), foi procurado pela reportagem, mas não foi encontrado.

Leia mais
  • Serra venceria no primeiro turno, diz Datafolha
  • Lula mantém chance de vencer no 1º turno e tem aprovação recorde, diz Datafolha
  • Maioria não assiste a propaganda eleitoral

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Enquete: o horário eleitoral muda ou não o seu voto?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página