Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/08/2006 - 14h58

Após reviravolta nas pesquisas, governador do Ceará se encontra com Lula

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

Depois de cair nas pesquisas de intenção de voto para o governo do Ceará, o governador Lúcio Alcântara (PSDB) desembarcou hoje no Palácio do Planalto com o argumento oficial de que teria um encontro de trabalho com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governador negou que tenha feito um apelo para que Lula não vá ao Estado pedir votos para seu principal adversário, Cid Gomes, do PSB.

"Não iria constranger o presidente. Nós somos amigos, temos uma relação pessoal muito boa e não tratamos da minha candidatura", afirmou.

O governador disse que veio tratar de assuntos relativos ao Porto de Pecém e que o encontro estava marcado há duas semanas, embora a reunião não constasse da agenda oficial de Lula distribuída de manhã pela assessoria do Planalto. Lúcio admitiu, entretanto, que a conversa enveredou sobre a campanha. "Depois de tratarmos da agenda, falamos sobre a conjuntura [eleitoral]", disse.

Lula teria comentado que está tranqüilo com a campanha e que não pretende baixar o nível para responder aos ataques dos seus adversários. Também teria destacado que amadureceu muito no exercício da Presidência e que hoje tem uma visão mais completa do país e da vida política partidária. "Ele disse que aprendeu a conhecer melhor as pessoas", afirmou o governador à Folha Online por telefone.

O governador tucano vem utilizando na sua campanha à reeleição a proximidade com o presidente para ganhar votos, ignorando o candidato do seu partido ao Planalto, Geraldo Alckmin. Ele justificou que sua proposta é mostrar ao eleitorado que embora sejam de partidos diferentes, Lula e ele podem manter um bom relacionamento.

"Temos uma relação pessoal e institucional boa. Não estou destratando Alckmin. Quando ele foi ao Ceará, foi muito bem recebido", afirmou.

Pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira revelou que Cid Gomes, irmão do ex-ministro Ciro Gomes (Integração Nacional), venceria a eleição hoje no primeiro turno com 50% das intenções de votos, contra 37% do tucano. Cid Gomes também é candidato de Lula no Ceará.

O governador ponderou que cada pesquisa divulgada no Estado revela um resultado diferente. "Já estive lá embaixo, depois em cima. Estou enfrentando adversários poderosos. Se você pensar, não tem nenhuma liderança política do Estado ao meu lado, estou só", justificou.

Entre as lideranças está Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente nacional do PSDB. Lúcio Alcântara disse que hoje politicamente os dois estão "totalmente separados", e mais uma vez lembrou que tem recebido do presidente Lula total solidariedade. Durante a reunião, Lula deu mais uma prova disso. Foi de Lula a iniciativa para que os dois fossem fotografados dando as mãos, mais uma imagem para Lúcio Alcântara explorar na campanha.

Leia mais
  • Serra venceria no primeiro turno, diz Datafolha
  • Lula mantém chance de vencer no 1º turno e tem aprovação recorde, diz Datafolha
  • Maioria não assiste a propaganda eleitoral

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Enquete: o horário eleitoral muda ou não o seu voto?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página