Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/08/2006 - 17h11

Quércia diz que é contra a adoção de filhos por casal homossexual

Publicidade

TATHIANA BARBAR
da Folha Online

O ex-governador Orestes Quércia, 68, candidato do PMDB ao governo de São Paulo, defendeu nesta terça-feira que casais homossexuais não adotem filhos. "Eu sou contra, não condeno, mas sou contra. É uma questão de formação, de valores, mas não tenho nada contra os homossexuais."

Sobre membros de seu partido envolvidos com o esquema dos sanguessugas, o peemedebista defendeu que eles saiam do PMDB. "Eu apoio que eles deixem o partido. Se não saírem, que a Justiça providencie."

O candidato foi entrevistado pelo secretário de Redação da Folha Vaguinaldo Marinheiro, o editor de Brasil, Fernando de Barros e Silva, e os colunistas da Folha Mônica Bergamo e Gilberto Dimenstein

Na ocasião da declaração, Quércia aproveitou para criticar o governo Fernando Henrique Cardoso. "Esse negócio de emenda [o esquema teve origem nas emendas parlamentares ao Orçamento da União] começou no governo FHC. E Lula continuou tudo do governo FHC."

No entanto, o candidato afirmou que aceitaria os dois no seu palanque. "Apoio não se renega. Eu aceito o Lula, o FHC. Apoio é sempre bem-vindo."

Caixa dois

Sobre a nova exigência da lei eleitoral, que obriga os candidatos a prestar contas duas vezes antes das eleições, para coibir as doações irregulares, Quércia disse que é possível fazer campanha sem caixa dois, mas que sempre houve o caixa dois nas campanhas.

Segundo ele, nunca se cumpria a obrigação de prestar contas de tudo durante a campanha. "Mas na minha campanha está tudo certo, tudo direitinho, como já falaram na imprensa."

Entre os presentes na sabatina de Quércia, estavam o presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), e a candidata do partido ao Senado, Alda Marco Antonio.

Sabatinas

Quércia abriu hoje o ciclo de sabatinas da Folha com os principais candidatos ao governo de São Paulo. Amanhã, o entrevistado será o senador Aloizio Mercadante (PT). José Serra (PSDB), ex-prefeito da capital, na quinta-feira, encerrará o ciclo com os candidatos de São Paulo.

As sabatinas são realizadas no Teatro Folha (shopping Pátio Higienópolis, av. Higienópolis, 618, piso 2), das 15h às 17h. Para entrevistar os candidatos, foram convidados o secretário de Redação da Folha Vaguinaldo Marinheiro, o editor de Brasil, Fernando de Barros e Silva, e os colunistas Mônica Bergamo e Gilberto Dimenstein.

As inscrições em São Paulo podem ser feitas pelo telefone 0/xx/11/3224-3473, de segunda a sexta-feira, das 14h às 20h. É preciso informar nome completo, RG e telefone.

Na primeira semana de setembro, a Folha sabatinará os principais candidatos à Presidência da República. Heloísa Helena (PSOL) será sabatinada no dia 4 e Geraldo Alckmin (PSDB), no dia 5. O presidente Lula (PT) ainda não confirmou sua participação.

Leia mais
  • Quércia diz que governo de SP negociou com crime e perdeu autoridade
  • Quércia chama Lula de "político extraordinário" e diz que Alckmin é "frio"
  • Quércia critica política econômica do governo federal

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Leia cobertura completa das sabatinas da Folha
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página