Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/08/2006 - 17h12

Antero rebate acusações de Vedoin e recebe apoio de líderes tucanos

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Notificado nesta terça-feira pela CPI dos Sanguessugas para prestar esclarecimentos sobre a suposta participação na máfia das ambulâncias, o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) convocou hoje os dois principais líderes do PSDB no Senado para se defender das denúncias.

Ao lado do presidente do PSDB, Tasso Jereissati (CE), e do líder do partido no Senado, Arthur Virgílio (AM), Antero convocou a imprensa para apresentar documentos que rebatem as acusações do empresário Luiz Antonio Vedoin, sócio da Planam, sobre o seu suposto envolvimento nas fraudes.

Antero mostrou ofício em que mostra que teria cancelado as emendas que seriam liberadas pelo deputado Lino Rossi (PP-MT), a seu pedido, para a compra de quatro ambulâncias em 2001. O senador afirma que desistiu das emendas diante do contingenciamento na liberação de verbas determinado pelo partido.

"Também conversei com o secretário de Saúde do Estado, que me desaconselhou à liberação das emendas ao afirmar que o problema da saúde é muito maior do que a compra de ambulâncias", ressaltou.

O senador partiu para o ataque contra o empresário Luiz Antonio Vedoin, sócio da Planam, que em reportagem publicada pela revista "Veja" na semana passada incluiu o nome do senador entre os sanguessugas.

"Em depoimento à Polícia Federal em agosto, ele [Vedoin] disse que não tinha mais documentos sobre a máfia depois da busca e apreensão feita pela Polícia Federal na sede da Planam. Agora, ele encontra os documentos", disse o senador.

O PSDB divulgou nota de apoio ao senador, assinada por Jereissati e Virgílio. Na nota, os dois tucanos afirmam que analisaram os documentos apresentados por Antero e concluíram pela inocência do senador. "O PSDB não aceita e não se rende ao jogo político de acusações irresponsáveis. Assim também como não aceita, em seus quadros políticos, não comprometidos com a ética e a moral", diz a nota.

Virgílio considerou "estranho" o nome de Antero aparecer nas denúncias. "Será que não cabe indagar que essas denúncias são justamente contra o senador que denunciou o esquema do Waldomiro Diniz [ex-assessor da Casa Civil da Presidência]? Foi ele quem abriu um rombo brutal nesse governo, com o início das denúncias de corrupção", afirmou o líder.

Já o senador Tasso Jereissati considerou uma "trama" as acusações contra Antero. "Querem jogar lama colocando tudo na mesma cesta, mas isso não é aceitável nem admissível. Eu não sou advogado dele, mas vim dar apoio porque tenho consciência da sua inocência", enfatizou.

Leia mais
  • CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista
  • CPI dos Sanguessugas absolve 18 parlamentares

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: você é a favor do fim do voto secreto?
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página