Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/09/2006 - 20h10

Suassuna nega suposto dossiê contra membros do PMDB

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Acusado de integrar a máfia dos sanguessugas, o senador Ney Suassuna (PMDB-PB) ocupou hoje a tribuna do Senado Federal para rebater reportagem publicada pela revista "Veja", que o acusa de estar ameaçando integrantes do PMDB.

Segundo a reportagem, Suassuna teria em mãos um "dossiê" com informações que comprometeriam a alta cúpula do partido. Se os peemedebistas não lhe apoiassem no processo de perda de mandato, o senador estaria disposto a divulgar as supostas informações.

Suassuna disse não ser "homem de dossiês" e garantiu nunca ter ameaçado nenhum membro do Senado Federal. "A quem interessaria se indispor com os principais líderes do seu partido? Jamais poderia dedicar algo que não lealdade a todos eles", afirmou.

A reportagem afirma que Suassuna teria distribuído "recados ameaçadores" a colegas de partido, incluindo o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros, o ex-presidente José Sarney e o relator da CPI dos Sanguessugas, Amir Lando.

Os documentos supostamente comprovariam a participação dos peemedebistas em irregularidades.

"Não me bastasse o massacre moral a que fui submetido, ainda tenho que passar por isso", afirmou.

Acusações

O ex-líder do PMDB reiterou inocência nas acusações do empresário Luiz Antonio Vedoin, sócio da Planam. "Tenho tanta certeza que a Justiça virá que não tenho tratado deste assunto com ninguém", afirmou.

Vedoin incluiu Suassuna entre os parlamentares que teriam recebido propina em troca da liberação de emendas para a compra superfaturada de ambulâncias.

O senador se mostrou satisfeito com a escolha do senador Jefferson Péres (PDT-AM) para relatar seu processo de cassação no Conselho de Ética do Senado. Segundo Suassuna, Péres é um homem "justo e correto".

Ele afirmou, no entanto, que não vai procurar Jefferson Péres para se explicar sobre as denúncias. "Se for convidado, vou até lá me explicar. Mas não vou procurá-lo, nem a nenhum membro do Conselho", encerrou.

Leia mais
  • CPI dos Sanguessugas vai investigar mais três parlamentares
  • CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista
  • CPI dos Sanguessugas absolve 18 parlamentares

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: você é a favor do fim do voto secreto?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página