Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
12/09/2006 - 20h48

Gabeira inocenta Antero de envolvimento com máfia sanguessuga

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) não encontrou indícios de que o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) esteja envolvido na máfia das ambulâncias. O deputado enviou hoje e-mail ao senador para comunicar que vai recomendar no relatório final da CPI dos Sanguessugas que Antero não perca o mandato.

"Designado pela CPMI da compra de ambulâncias para produzir um relatório preliminar sobre as acusações feitas contra V. Exa. pelo Sr. Luis Antônio Vedoin, conclui que elas são inconsistentes. Diante desta conclusão, baseada nos fatos revelados até agora, recomendarei que seu caso não seja enviado ao Conselho de Ética do Senado", afirma Gabeira no e-mail.

O deputado disse que vai apresentar no dia 4 de outubro à CPI um relatório preliminar sobre o caso de Antero. Apesar de não concordar com a investigação sobre o senador, Gabeira disse que vai incluir no relatório final da comissão crítica à bancada do Mato Grosso --que promoveu remanejamento nas emendas parlamentares, o que teria facilitado as fraudes.

"Esse movimento contribuiu para que a Planam crescesse, comprometendo vários parlamentares do Mato Grosso", disse Gabeira.

Antero foi acusado por Luiz Antonio Vedoin de ter recebido R$ 40 mil em propina, por intermédio do deputado Lino Rossi (PP-MT), para a apresentação de emenda no valor de R$ 400 mil para a compra superfaturada de ambulâncias.

A CPI decidiu investigar o senador depois que Vedoin incluiu Antero entre os envolvidos na máfia dos sanguessugas em reportagem publicada pela revista "Veja".

Leia mais
  • CPI dos Sanguessugas vai investigar mais três parlamentares
  • CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista
  • CPI dos Sanguessugas absolve 18 parlamentares

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página