Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/09/2006 - 21h44

PSDB paulista pede rapidez e transparência na apuração do caso dossiê

Publicidade

da Folha Online

O presidente do PSDB de São Paulo, Sidney Beraldo, defendeu hoje que Polícia Federal revele a origem do R$ 1,16 milhão mais U$ 248 mil apreendidos na última sexta-feira em São Paulo com Valdebran Carlos Padilha da Silva.

"De onde vem o dinheiro? Como os petistas presos tinham US$ 250 mil? Quem entregou? Quem iria receber? É impossível acreditar que alguém venderia algumas baixarias de campanha por quase dois milhões de reais", disse Beraldo, em nota.

Segunto o tucano, ficou "comum prenderem petistas com dinheiro em espécie" sem o conhecimento da origem. Ele se referia à prisão de José Adalberto Vieira da Silva, assessor do deputado estadual José Guimarães (PT-CE), irmão do então presidente do PT José Genoino, em julho de 2005, no aeroporto de Congonhas em São Paulo.

"O que nós esperamos é que a Polícia Federal dê transparência ao fato e mostre as notas apreendidas, para que toda a nação possa ver a vergonha em que mais este petista está envolvido. Nossa preocupação é que seja evitada a operação abafa do PT, como no caso dos dólares na cueca e que seja explicada origem do dinheiro", disse Beraldo.

Leia mais
  • Advogado preso diz à PF que dinheiro veio do PT
  • Berzoini nega que PT tenha pago por dossiê
  • PF prende tio de empresário sanguessuga em Cuiabá

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página