Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
20/09/2006 - 15h31

Alckmin acusa PT de liderar organização criminosa

Publicidade

CLARICE SPITZ
da Folha Online, no Rio de Janeiro

O candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, afirmou que o governo do PT montou "uma sofisticada organização criminosa no Palácio do Planalto"

Alckmin lançou hoje no Rio de Janeiro seu programa de governo e disse que os escândalos de corrupção no governo Lula não representam fatos isolados, mas constituem um sistema sofisticado de corrupção.

"O PT e o governo atual ultrapassaram todos os limites de tolerância possíveis. Não são fatos isolados. Esse desvio de dinheiro público e esse aparelhamento do Estado. Essa sofisticada organização de pessoas cometendo crimes no governo que envolve desde ONGs ligadas ao PT, dinheiro que some da Secom [Secretaria de Comunicação da Presidência da República], dinheiro sujo do crime, desvio de recursos, dossiês para mudar o resultado eleitoral. Ações criminosas. Um conjunto de fatores que passa pelo mensalão, 'cuecão', 'valeorioduto', empresas estatais em que tivemos casos graves de corrupção. O aparelhamento do Estado pelo Lula e pelo PT levaram a uma situação de descontrole", afirmou o tucano.

Alckmin disse, durante seu discurso, que é impossível que Lula não soubesse do envolvimento de membros de seus partido na compra do dossiê contra o PSDB.

"Lula dizia que não podia ver [o mensalão] porque era no segundo andar e outro era no quarto andar. Agora é no terceiro andar. Assessor direto da Presidência da República envolvido novamente nesse vale-tudo pelo poder. Os fins justificam os meios. Nós ensinamos para os nossos filhos: não pode mentir, não pode roubar. O país está envergonhado, mas eles não têm vergonha, perderam a vergonha", disse.

O candidato pegou a barca para Niterói onde, agora, faz corpo-a-corpo. Antes de encontrar seus correligionários, foi vaiado pelas pessoas que aguardavam para embarcar para o Rio. Um homem gritou: "Alckmin é sanguessuga".

A assessoria da campanha de Lula disse que, por enquanto, não irá se pronunciar sobre as afirmações de Alckmin. No Diretório Nacional do PT, a orientação é para que acusações feitas ao partido sejam respondidas por seu presidente Ricardo Berzoini. Segundo seus assessores, Berzoini não dará entrevistas hoje.

Leia mais
  • Berzoini diz que fica no cargo e só sai da campanha de Lula quiser
  • Lula convoca reunião para falar de dossiê; Berzoini deve se explicar

    Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Leia o que já foi publicado sobre a máfia dos sanguessugas
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página