Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
25/09/2006 - 20h37

FHC rebate petista e chama Lula de "demônio"

Publicidade

EPAMINONDAS NETO
da Folha Online

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso rebateu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se comparou no último domingo a Jesus Cristo e Tiradentes ao afirmar que teria sido traído no caso do escândalo do dossiê antitucano.

"Cristo não foi beijar Judas, nunca chamou seus traidores de ex-companheiros. Isto não é Cristo, não, é o demônio", disse FHC durante evento do PSDB e do PFL no clube Espéria, em São Paulo.

FHC também rebateu as críticas de Lula de que os envolvidos na compra do dossiê eram "aloprados". "A culpa não é dos que são escolhidos. A culpa é de quem escolhe porque tem o dedo podre", afirmou FHC.

Lula citou Jesus Cristo e Tiradentes em comício no final de semana ao comentar que teria sido traído no caso do escândalo do dossiê antitucano. Lula responsabilizou o presidente do PT, Ricardo Berzoini, sobre a contratação de pessoas que trabalham em sua campanha pela reeleição.

O ex-presidente afirmou que seria preciso que o PSDB indicasse um representante para acompanhar as investigações sobre o dossiê, a exemplo dos petistas que solicitaram na época do caso Celso Daniel, quando ele (FHC) ainda era presidente. "Pode ser o Miguel Reali Júnior [que trabalha na campanha eleitoral de Geraldo Alckmin, candidato tucano à Presidência da República]", disse.

FHC ainda comentou o fato de, na propaganda eleitoral de Lula, ter sido feita uma montagem para favorecer o presidente, que discursou na Assembléia da ONU (Organização das Nações Unidas) na semana passada. "Furtaram os aplausos do Kofi Annan, Até onde nós vamos? É uma total falta de pejo [pudor]", disse o ex-presidente.

Leia mais
  • Para Lula, envolvidos com dossiê são "aloprados"
  • Lula, Mercadante e Lorenzetti são sócios em ONG de São Paulo

    Especial
  • Leia cobertura completa da máfia dos sanguessugas
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página