Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/11/2006 - 12h07

Lula retoma conversas sobre coalizão e recebe apoio do PTB

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva retomou esta manhã as conversas com governadores eleitos e partidos aliados em busca da chamada "coalizão" de forças para o seu segundo mandato. Lula se reuniu com o governador eleito do Paraná, Roberto Requião (PMDB), e com o líder do PTB na Câmara, deputado José Múcio (PE).

O líder petebista disse que o partido está disposto a colaborar com a governabilidade do país, além de continuar integrando a base de apoio a Lula nos próximos quatro anos --apesar de o presidente do PTB, Roberto Jefferson (RJ), ter se declarado contrário ao apoio do partido no segundo mandato. Em entrevista à Folha de S.Paulo nesta segunda-feira, Jefferson disse que "o PTB pode apoiar a governabilidade, mas não tem que estar na base do governo".

Múcio afirmou que a maioria dos parlamentares eleitos pelo PTB é favorável à permanência do partido na base de apoio de Lula. "Nossa proposta é sermos parceiros da governabilidade. Vamos ver a posição de cada parlamentar, mas 95% dos deputados eleitos apoiaram o Lula", disse Múcio.

Apesar das críticas de Jefferson, Múcio disse que não há riscos de o PTB acabar "dividido" entre os que defendem e condenam a sustentação ao governo Lula --como ocorre no PMDB. "Vamos ficar com uma ala só, uns trabalhando mais. Não temos nem tamanho para nos dividir", disse.

O líder também defendeu a permanência no governo do ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, que é do PTB. "O presidente hoje não vê mais o Walfrido como um ministro do PTB, mas como um grande nome. Os números do turismo respondem por mim. Mas defendo que ele continue na pasta [depois da reforma ministerial]", afirmou.

PMDB

Além da conversa com Múcio, Lula terá ao longo do dia reuniões com membros do PMDB para discutir a participação da legenda em seu segundo mandato. Além de Requião, que deixou o Palácio do Planalto sem conversar com jornalistas, Lula recebe à tarde o senador José Maranhão (PMDB-PB) e o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeu (PMDB).

Em reunião com a coordenação política do governo nesta segunda-feira, Lula deixou claro que pretende reduzir o espaço que deu ao PT no primeiro escalão do governo em seu primeiro mandato. O presidente deseja ampliar a participação do PMDB, partido que já tem três pastas (Minas e Energia, Comunicações e Saúde).

Leia mais
  • Lula negocia participação do PMDB em 2º mandato
  • PMDB quer disputar presidência da Câmara
  • Lula admite erro em 2002 e prevê mais poder ao PMDB

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o segundo mandato de Lula
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página