Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/12/2006 - 17h08

Presa em flagrante, mulher diz que esfaqueou ACM Neto por causa de reajuste

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
FELIPE NEVES
da Folha Online, em Brasília e São Paulo

A mulher que esfaqueou o deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA), na tarde desta segunda-feira, foi presa em flagrante e autuada por tentativa de homicídio, segundo o delegado titular do 16º DP de Salvador, Wilson Gomes.

Em seu depoimento, Rita de Cássia Sampaio de Souza, 45, mencionou como razões para o ato o reajuste de 91% concedido aos parlamentares e um descontentamento geral com relação aos políticos brasileiros.

Para Gomes, no entanto, Rita se contradisse por diversas vezes e demonstrou "desequilíbrio emocional".

O incidente aconteceu às 12h40. Segundo o delegado, Rita usou uma peixeira para agredir o deputado. O golpe foi desferido pelas costas. Ele passa bem e está em observação no Hospital da Bahia.

No momento do ataque, o deputado deixava seu escritório acompanhado de amigos quando ela disse que queria falar com ele, se aproximou e desferiu o golpe.

A secretária de ACM Neto viu pela janela o ocorrido e acionou a polícia e uma ambulância para prestar socorro ao deputado.

Rita já foi encaminhada ao presídio feminino de Salvador, onde ficará presa até segunda ordem da Justiça.

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) estava discursando no plenário do Senado quando recebeu a notícia pelo celular do ataque ao seu neto.

Leia mais
  • Parlamentares recorrem à Justiça contra reajuste de 91% nos salários
  • Deputado petista quer levar decisão sobre reajuste salarial ao plenário
  • Eleitos devem ser diplomados até amanhã
  • PMDB vai engolir o PT em 2010, diz Quércia
  • Congresso discute aumentar em R$ 8 salário mínimo
  • STJ garante a Luiz Estevão liberdade até decisão final sobre processo

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre ACM Neto
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página