Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/02/2007 - 18h18

Novato na Câmara, Clodovil gasta só R$ 50 da verba indenizatória de R$ 15 mil

Publicidade

ANDREZA MATAIS
GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Os deputados novatos da Câmara praticamente dispensaram a verba indenizatória neste primeiro mês de mandato. Ao contrário da maioria dos colegas que foram reeleitos, os novatos quase não tocaram nos R$ 15 mil da verba paga para ressarcimento das despesas do mês.

Lula Marques/Folha Imagem
Clodovil Hernandes em seu 1º discurso na Câmara
Clodovil Hernandes em seu 1º discurso na Câmara
O deputado Clodovil Hernandez (PTC-SP), por exemplo, pediu de volta em fevereiro apenas R$ 50 para ressarcir gastos com combustível e óleo lubrificante.

Os seus colegas de bancada Frank Aguiar (PTB-SP) e Paulo Maluf (PP-SP), até agora, não utilizaram nenhum centavo da verba indenizatória, segundo dados da página eletrônica da Câmara. A assessoria da Casa informa, porém, que eles têm o semestre todo para reivindicar os recursos. O deputado Antonio Palocci (PT-SP) também não pediu ressarcimento de despesas.

Deputados com mais tempo de mandato, no entanto, não dispensaram o dinheiro. José Genoino (PT-SP), que retornou à Casa nesta legislatura, já pediu o ressarcimento de R$ 478.

Alegou gastos com aquisição de material de expediente (R$ 315), combustíveis e lubrificantes (R$ 103) e locomoção, hospedagem e alimentação (R$ 60).

O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) pediu de volta à Câmara R$ 6.700, relativo a despesas com a contratação de consultorias, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos no mês de fevereiro. Em janeiro, quando o Congresso estava de recesso, João Paulo alegou despesas no valor de R$ 12.040,43 com aluguel de imóveis para escritório e despesas referentes a eles (R$ 5.340,43) e novamente em consultorias (R$ 6.700).

O deputado Tatico (PTB-GO), mesmo morando em Brasília, apresentou nota para ressarcimento de despesa com combustível no mês de fevereiro de R$ 4.290. Em janeiro, o deputado disse ter gasto R$ 13.189,70 com alimentação, hospedagem e combustível.

A utilização de recursos da verba indenizatória é autorizada pela Câmara para ressarcimento de gastos com combustível, hospedagem, alimentação e outras despesas pessoais dos parlamentares. Os recursos vêm sendo questionados porque muitos deputados acabam incorporando os R$ 15 mil aos salários de R$ 12.847,20.

Alguns parlamentares defendem a extinção da verba indenizatória caso os salários sejam equiparados aos dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), o que equivale a um reajuste de 91%, mas essa discussão foi interrompida devido a repercussão negativa do reajuste.

Nesta sexta-feira, o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que o assunto salário não está em pauta e no que depender dele não será discutido pela Câmara tão cedo. "Este assunto não está em discussão neste momento", disse.

Leia mais
  • Erramos: Clodovil gasta só R$ 50 da verba indenizatória de R$ 15 mil
  • Clodovil silencia plenário ao reclamar do barulho e diz querer amar deputados
  • De chapéu e bengala, Clodovil diz que não sabe o que é o PAC
  • Clodovil visita Câmara e diz que vai defender política do afeto e amor
  • Após ser interrompido, Clodovil chama Chinaglia de "mal-educado"
  • Chinaglia diz que Clodovil vai ter que respeitar regras da Câmara

    Especial
  • Leia mais sobre o deputado Clodovil Hernandes
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página