Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/02/2005 - 11h34

Estudo diz que chá de crisântemo mata células cancerosas

Publicidade

da Agencia Lusa

Uma equipe de investigadores da Universidade Nacional de Cingapura (NUS) descobriu que a flor de crisântemo, usada tradicionalmente na medicina chinesa, favorece a eliminação de células cancerosas, como noticia hoje o jornal "The Straits Times".

O chá de crisântemo, muito popular na cultura chinesa devido ao seu efeito refrescante, contém o antioxidante flavonóide. Os investigadores estudaram em particular o flavonóide luteolina, procedente das flores da região de Hangzhou, na China.

Segundo o dr. Shen, da equipe de investigadores, quando esta substância é combinada com quimioterapia, o tratamento junta as células doentes e as mata, obtendo-se assim os melhores resultados.

Até agora já foram estudados os efeitos da luteolina no câncer do cólon, da mama e do colo do útero, com resultados satisfatórios.

Os resultados desta investigação, que durou três anos, serão apresentados no Congresso Internacional de Medicina Alternativa, que vai ocorrer em Cingapura de 26 a 28 de fevereiro, numa organização conjunta da NUS e da universidade norte-americana Johns Hopkins.

O congresso, nas palavras do seu diretor, Yong Eu Leong, "procurará explorar a medicina tradicional chinesa das plantas e examiná-la na ótica dos padrões científicos ocidentais".

Dentro da medicina alternativa chinesa existem remédios como o leite de búfala da província de Guangxi ou os comprimidos de óleo de rãs dos bosques do norte, que se usam contra a demência senil, a hepatite ou a falta de desejo sexual.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o crisântemo
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página