Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/10/2006 - 10h35

Americano leva Nobel de Química por estudo sobre os genes

Publicidade

da France Presse
com Folha Online

O pesquisador Roger D. Kornberg, da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA), conquistou o prêmio Nobel de Química 2006 por seus estudos sobre como a informação armazenada nos genes é copiada e transferida para a região das células onde as proteínas são produzidas.

Segundo informa o próprio site do prêmio, Kornberg foi o primeiro a esquematizar o funcionamento desse processo molecular em organismo chamados eucariontes (os quais, ao contrário das bactérias, possuem estrutura celular organizada). Mamíferos e organismo mais primitivos pertencem a esse grupo.

Paul Sakuma/AP Photo
Roger Kornberg, 59, é filho de um ganhador do Nobel de Medicina
Roger Kornberg, 59, é filho de um ganhador do Nobel de Medicina
Nobel hereditário

Roger Kornberg, 59, tinha 12 quando viajou a Estocolmo para ver o pai, Arthur Kornberg, receber o Nobel de Medicina em 1959 por seus trabalhos sobre a genética. O pai, que ainda está vivo, trabalhava sobre o DNA e o filho o seguiu em um campo similar da ciência.

"Aceito esta extraordinária recompensa em nome de mais de 50 colaboradores que participaram nestes trabalhos", declarou Kornberg, ao ser informado por telefone pelo Comitê Nobel no momento do anúncio do prêmio.

Estados Unidos

Os outros dois prêmios Nobel científicos atribuídos neste ano, o de Medicina e o de Física, também foram concedidos a quatro americanos, o que significa o domínio total dos Estados Unidos no campo científico em 2006.

Os astrônomos John Mather e George Smoot receberam na terça-feira o Nobel de Física por terem reforçado a teoria do Big Bang, que explica a possível origem do Universo, quando coordenavam uma missão da Nasa. O Nobel de Medicina foi concedido a Andrew Fire e Craig Mello, que descobriram um mecanismo que permite bloquear genes nocivos, deixando aberto o caminho para novas terapias, em particular contra o câncer.

No ano passado, o Nobel de Química foi atribuído ao francês Yves Chauvin e aos americanos Robert H. Grubbs e Richard R. Schrock pelos trabalhos sobre a metátese em síntese orgânica, cujo impacto é enorme na fabricação de medicamentos.

O Nobel, criado pelo industrial sueco Alfred Nobel, desejando que depois de sua morte, em 1896, sua fortuna fosse distribuída sob a forma de prêmio, foi atribuído pela primeira vez em 1901. Na próxima semana serão anunciados os prêmios de Economia (9), de Literatura (12) e o Nobel da Paz, em Oslo, na sexta-feira 13 de outubro.

Representados por um diploma, uma medalha de ouro e um cheque de 10 milhões de coroas suecas (1,1 milhão de euros), os seis prêmios serão entregues em cerimônias em Estocolmo e Oslo no dia 10 de dezembro.

Veja a lista dos vencedores do Nobel de Química nos últimos dez anos:

2006: Roger Kornberg (EUA)
2005: Yves Chauvin (França), Robert H. Grubbs e Richard R. Schrock (EUA)
2004: Aaron Ciechanover e Avram Hershko (Israel) e Irwin Rose (EUA)
2003: Peter Agre e Roderick MacKinnon (EUA)
2002: John Fenn (EUA), Koichi Tanaka (Japão) e Kurt Wuethrich (Suíça)
2001: William Knowles, K. Barry Sharpless (EUA) e Ryoji Noyori (Japão)
2000: Alan Heeger, Alan MacDiarmid (EUA) e Hideki Shirakawa (Japão)
1999: Ahmed Zewail (Egito-EUA)
1998: Walter Kohn (EUA), John Pople (Reino Unido)
1997: Paul Boyer (EUA), John E. Walker (Reino Unido), Jens Skou (Dinamarca)

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o prêmio Nobel

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página