Colunas

Quero Ser Mãe

01/04/2004

Espaço do leitor

BOA NOTÍCIA

Querida Claudia,

Obrigada por todos os conselhos que pude obter contigo. Sou casada há 5 anos. Desde Abril/03 tentávamos engravidar e finalmente no mês de Jan/04, depois de 9 meses, conseguimos. Tirei uma experiência muito grande em relação ao que sempre li e envie para sua coluna. Como diversas amigas, tive muiiiita ansiedade e desespero de achar que, após vários anos de precaução, engravidaria no primeiro mês e não foi assim. Fui à médicos, consultei internet, indaguei várias coisas, tomei Clomid (sem necessidade). E agora, quero passar um pouco da minha experiência: aguarde o prazo de 1 ano de tentativas e, se a ansiedade for muita, faça os exames de rotina como, espermograma, exame de sangue para medir o hormônio, ultra-sonografia, histerossalpingografia e faça amor, sem compromissos. Faça amor porquê você ama seu marido e não para 'fazer um filho'. Estando tudo normal com você, peça a Deus que sabe tudo...hora, local e razão e tenha certeza de que na hora que Deus quiser, você irá engravidar. Não é na nossa hora é na hora de Deus. Aguarde, relaxe e viva o momento a cada dia. Foi o que aconteceu comigo. Quando relaxei, meu bebê encontrou o caminho da vida e hoje me sinto uma mulher muito feliz. Estou no 2º mês e cada dia que passa é uma novidade diferente. Com a graça de Deus, correrá tudo bem para nós, pois se Deus me permitiu engravidar, é porquê ele tem grandes planos para nossas vidas.

Obrigada Claudia por ter me aturado com ansiedades e quero desejar Boa sorte a todas!!!

Resposta:

Thatiane, obrigada pelo retorno e parabéns pela gravidez. Seu depoimento, certamente, vai ajudar muitas leitoras a encararem a demora da gravidez com menos desespero.

Abraços

Cláudia

EVOLUÇÃO FETAL

Olá Cláudia, como está? Espero que bem!

Faz muito tempo que acompanho a sua coluna e todos os seus artigos, extremamente interessantes, talvez por falta de coragem, de tempo, não sei nunca escrevi a você. Acho que um dia, ainda enviei um e-mail com uma pergunta, mas ficou por ai.

Hoje quero contar a minha história e pedir a sua ajuda, e a dos profissionais que estão com você, a quem, dou desde já os meus mais sinceros parabéns.

Tenho 34 anos, sou Portuguesa, casada há 11 anos, o meu marido tem 35 anos e somos muito felizes, para completar a nossa felicidade falta-nos a realização de um sonho, o de sermos pais.

Desde Janeiro de 2000 que tentamos sem sucesso, fizemos tudo direitinho antes das nossas tentativas que se iniciaram em Janeiro de 2000, em Outubro desse mesmo ano, engravidamos, foi uma felicidade só, infelizmente durou apenas 8 semanas, numa ecografia verificamos que não tinha existido evolução fetal, era uma gravidez gemelar (de gêmeos), foi péssimo, mas com muito carinho recuperamos.

Desde então, mudamos der médico e fizemos um montão de exames, (ecografias, biopsia ao endométrio, espermogramas, análises completas ao sangue, estudos de temperatura à ovulação.), enfim, tudo deu sempre, Graças a Deus, ótimos resultados, inclusive o estudo de ovulação, no entanto o tempo foi passando e nada de eu engravidar. Descobrimos no meio de tudo isto que eu tenho Hipotiroidismo, que presentemente está controladíssimo, e tenho também uma Tiróide de Hashimoto, ou seja, tenho Anti-Corpos-Anti Tiróides, deu um valor muito elevado, que apesar de mais baixo, presentemente continua elevado.

Em Junho de 2003, engravidei de novo, e como deve imaginar, chorei de tanta felicidade mais o meu marido, porém com apenas 6 semanas abortei espontaneamente, foi um terrível choque, parecia um pesadelo.

Encontramos um excelente médico que nos pesquisou da cabeça aos pés, fizemos de tudo, inclusive os Cariotipos, e deu tudo bem, somos um casal compatível, com excepção das minhas análises imunológicas, onde foi detectado (em Outubro de 2003), que tenho os ANA's positivos (Anticorpos Antinucleares), ou seja, neste momento, estou com o Hipotiroidismo controlado e estou também a fazer medicação para os ANA's.

No entanto o médico prescreveu-nos uma indução de ovulação com as injeções cutâneas de Puregon, estou a fazer de 50mgr, há 3 meses (iniciei em Janeiro), e sinto que ainda não foi este mês, apesar de nas ecografias que faço no 11º dia do ciclo, terem resultados bons, de 2 folículos, depois faço o Pregnly, e nada de nada, porque será, eu sou tão saudável e o meu marido também, sinto-me confusa.

Eu sou uma pessoa com muita força, e garra, tenho sempre enfrentado tudo com a cabeça erguida e cheia de optimismo e determinação, mas sinto que as forças me começam a faltar, e o desânimo toma conta de mim, são já 4 longos anos, nesta luta permanente. Porque será que não engravido, será que estas minhas disfunções não tem solução, mesmo com a medicação que tomo?????

Por favor, desculpem o tamanho da mensagem, mas preciso muito da Vossa ajuda, por favor respondam quando puderem, mas não deixem de me dar o Vosso conselho.

Obrigado e os meus mais sinceros cumprimentos.

Marisa

Resposta do dr. Eduardo Motta:

Olá Marisa,

Saudações aqui do Brasil. Bem, é possível engravidar duas vezes e perder as duas vezes e no final de tudo, ser apenas uma coincidência. É possível, mas não é o comum. Alguns pesquisadores associam estes anticorpos antinucleares com uma maior probabilidade de abortos de repetição de tal forma que esta é uma possibilidade a ser considerada.

Existe um outro anticorpo bastante importante chamado de anticorpo anticardiolipina e este sim deveria ser dosado, pois, as correlações são bem positivas com perdas gestacionais de repetição.

Assim me parece que precisamos de alguns dados a mais deste 'painel imunológico' antes de prosseguir com o puregon. Se não for possível, talvez seria sensato discutir com seu médico a pesquisa de trombofilias (potencial de trombose) pois também se relacionam bastante com seu quadro.

Boa sorte e estamos a torcer aqui do Brasil.

Abraços,

Eduardo Motta


OLIGOZOOSPERMIA

Olá Claudia, meu nome é Elisângela, em primeiro lugar gostaria de parabenizá-la pela sua coluna adorei, é muito instrutiva e muito interessante.

Bom, já faz 2 anos que estou tentando engravidar, fui ao ginecologista ele disse que comigo estava tudo bem, mas não fiz nenhum tipo de exame mais detalhado, mas ele pediu que o meu marido fizesse um espermograma, foi então que fiquei sabendo que o meu marido tem oligozoospermia, gostaria de saber se é exatamente por isso que não engravidei? E qual é a causa da Oligozoozpermia? Por favor gostaria de saber quais providencias tomar.

Um grande abraço!

Elisângela

Resposta do dr. Eduardo Motta:

Olá Elisangela,

Boa tarde.

Oligospermia como o nome diz: oligo= poucos + espermia = espermatozóides, ou seja, parece que seu marido tem uma contagem diminuída.
Causas!! Existem muitas, mas em geral poderíamos dividi-las em desde o nascimento e adquiridas. No primeiro grupo temos os casos de criptorquidia (testículo não desceu para a bolsa escrotal), alterações genéticas, etc...

Já nas causas adquiridas a mais comum é a varicocele, mas poderíamos ter alterações hormonais, infecções, etc...

Enfim seria interessante procurar ajuda pois explica sim sua dificuldade.

Boa sorte

Eduardo Motta


NÃO-OVULAÇÃO

Cláudia

Primeiramente te agradeço pela ajuda.

Eu tenho os ovários micropolicísticos, portanto minha menstruação é difícil, gostaria de saber se após eu ter tomado o provera conforme a médica receitou, se esse processo faz com que a ovulação seja induzida?

Obrigada

Cris

Resposta do dr. Eduardo Motta:

Olá Cris,

não o provera é a progesterona que não está sendo produzida. Lembre-se que a progesterona é o hormônio produzido após ovular. Quando você toma o provera você apenas repõe momentaneamente aquilo que está faltando, mas não corrige o seu problema. Assim, o ideal seria estimular a ovulação, pois corrige o problema por inteiro.

Abraços,

Eduardo Motta


ENDOMETRIOSE

Olá Claudia

Tenho 30 anos e há 2 semanas fiz uma laparoscopia para retirar um cisto no ovário direito (mais ou menos 2.7cm) . O ovário foi preservado. Na ocasião, foram encontrados focos pequenos na cavidade peritonial e uma das trompas, a direita, está obstruída pois o líquido não passou.

Agora meu médico me receitou análogo de GNRH por 4 meses a começar no próximo mês para desobstruir uma das trompas. Sei de todos os efeitos colaterais deste hormônio e minha dúvida é se este é realmente o melhor tratamento para a endometriose. Tenho lido muito sobre a progesterona natural mas não sei se é eficaz quanto parece.

Quero muito ter filhos, o primeiro tenho planos para 2005 e o meu objetivo é tratar da melhor maneira esta doença e para isso gostaria de ouvir sua opinião a respeito. Existem também chances de recidivas após o tratamento? Qual a percentagem?

Aguardo ansiosa seu retorno.

Um abraço

Cristianne

Resposta do dr. Eduardo Motta:

Olá Cristianne,

bem a sua dúvida também é de certa forma a dúvida da medicina. Algumas considerações: no caso de ser endometriose, o remédio complementa o tratamento. Para saber se vale a pena utilizar ou não depende muito do resultado cirúrgico. Se a laparoscopia teve a capacidade de retirar tudo, talvez não fosse necessário. Mas se existe a suspeita que alguns focos possam ainda estar por lá, aí sim vale a pena.
Quando a progesterona natural, penso que ela é inferior ao análogo do gnrh.

Abraços,

Eduardo Motta


CRIPTORQUIDIA/MONORQUIDIA

Tenho 36 anos e meu namorado 23. Por volta dos 10 anos, ele começou a sentir dores na virilha. Foi descoberto q um de seus testículos não havia 'descido'. Foi então submetido a uma cirurgia, mas não foi possível descer o testículo (segundo seus pais, o médico disse q o testículo 'fugia'), q foi extraído. Ele foi aconselhado a fazer um teste de fertilidade, mas por receio do resultado, nunca fez. Andei pesquisando aqui na internet, mas não encontrei mts informações satisfatórias, pois sempre tratam dos casos em q o tratamento/cirurgia foi feito e o testículo desceu. Li no Guia do Bebê, na matéria 'Testículo ausente, perigo crescente' de 1999, que após o primeiro ano de vida, se o testículo não desceu, é infertilidade na certa. Meu namorado tem muito receio de fazer o teste, eu gostaria de saber quais as chances dele ser estéril ou infértil (que descobri são coisas diferentes!). Estou encorajando-o a procurar um médico, fazer teste, e acabar logo com essa dúvida q o deixa triste mts vezes. Mas gostaria de saber sobre as chances que ele tem de ser infértil, para estar bem preparada para ajudá-lo no caso do resultado não ser feliz! Nada vai mudar pra mim. Tenho um filho e estou totalmente disposta a partir para uma adoção no caso dele não poder ter filhos. Já inclusive conversei com ele sobre isso. Mas o receio dele com relação ao resultado é enorme!
Em tempo: no caso de publicação desta, não gostaria que meu nome aparecesse! Podem publicar com o nome de Luiza Pereira (meu segundo nome e último sobrenome!)

Aguardo uma resposta!

Resposta do dr. Sandro Esteves:

Prezada Luiza:
O problema que você relatou acometeu apenas um dos testículos do seu namorado. Se o outro testículo for normal, estando na bolsa desde o nascimento, as chances de esterilidade são muitíssimo pequenas. Entretanto, em cerca de 50% dos casos, pode haver diminuição da produção de espermatozóides, uma vez que apenas um lado da ' fábrica' está funcionando. É importante fazer o exame, de preferência num laboratório especializado em andrologia, e é importante também que sejam realizadas 2 coletas, com intervalo de 15 dias, com período de abstinência sexual de 2 a 3 dias antes de cada coleta.

Atenciosamente,

Dr. Sandro Esteves


CACHUMBA

Cara Filha de Deus Claudia Colluci

Com certeza você tera uma resposta esclarecedora para mim.

Em maio ou junho do ano passado, meu filho com 27 anos sentiu fortes dores na região logo abaixo das orelhas. Para mim tratava-se de cachumba, e pedi a ele que fosse ao Pronto Socorro da Unimed, por ser domingo.

Uma médica garantiu a ele que não se tratava de cachumba, e sim problemas dentários.

No dia seguinte foi até nosso dentista qual verificou que externamente os dentes estavam perfeitos, mas que mesmo assim deveria fazer radiografia.

Foi encaminhado no dia seguinte para outro dentista para a rediografia. Na quarta feira foi buscar a radiografia a qual somente poder ser entregue ao seu dentista no dia seguinte, quinta feira, o qual não constatou qualquer anormalidade.

Marcou-se então uma consulta com um especialista dessa área, acredito que seja um otorrino.

Já estávamos no inicio de outra semana, e as dores eram fortes.

Como no primeiro diagnostico com a medica ela foi contundente em afirmar que não era cachumba, meu filho não fez nenhum resguardo, e inclusive nesse período fez um grande esforço para carregar um portão pesado.

Pois bem já na consulta com o especialista o mesmo confirmou que era cachumba, e que seus testículos haviam aumentado muito de tamanho, passando então uma medicação correta para o caso, e não mais analgésicos somente como antes.

Decretou um repouso absoluto por deis dias na cama. Passado esse período, tendo cessado as dores e diminuído o tamanho dos testículos, pediu um exame de Espermograma, cujo resultado era de total ausência de espermatozoide.

Disse que esse exame foi realizado muito cedo, e deveria repeti-lo após 3 meses.

Passado esse tempo com o novo exame de espermograma, foi constatado a presença de 3 milhões ml. o que nos animou, mas ainda era insuficiente- e o exame finalizava com o termo OLIGOZOOSPERNIA.. Novo exame deveria ser feito dentro de 3 meses.

Passados 4 meses nesses fez novo espérmograma, para surpresa de todos a contagem estava em 1 milhão ml. Ficamos decepcionados. E novamente o termo OLIGOZOOSPERMIA. Ele esta noivo e sua noiva tem a maior loucura EM SER MÃE. Neste final de semana irá retornar ao médico com tal resultado.

AGORA PEÇO SUA AJUDA EM ME ESCLARECER.

1- A oligozzospernia é conseqüência da cachumba que não foi diagnostica pela médica, e dessa forma ele continuou a vida normal, inclusive carregando grande peso.?
2- Há quem afirme que essa foi a segunda fez que teve cachumba, é possível isso?
3- Existe algum tratamento que possa normalizar o limite ideal para os espermatozoides?
4- Há um dito popular que diz que quando a cachumba desce a pessoa torna-se infértil irremediavelmente, é verdade?
5- Dentro do quadro atual ele poderá gerar filhos, que é sonho da noiva?
6- Isso tem algum relacionamento com impotência?
7- Ele poderia já ter esse problema quando antes da cachumba? E nesse caso a situação piorou?

Cara Filha de Deus Claudia, por gentileza me resposta por e-mail com urgência se for possível, pois aqui em casa estamos todos perdidos sem saber o que fazer, pois os médicos nada esclarecem a respeito, deixando muitas perguntas sem respostas, até parecendo uma espécie de corporativismo, devido ao erro de diagnóstico da médica plantonista.

COM AS BÊNÇÃOS DE DEUS
PEDRO FERNANDO SIMONETTI

Resposta do dr. Sandro Esteves:

Prezado Pedro:
Em resposta às suas perguntas:
1) A diminuição da produção de espermatozóides (oligozoospermia) é conseqüência da caxumba. A caxumba é uma infecção causada por um vírus que tem grande afinidade pela glândula parótida (inchaço atrás das orelhas) e pelos testículos. Apesar da crença popular, o repouso não impede que a caxumba afete os testículos. O fato é que existem homens nos quais a caxumba irá ' descer' independente do repouso. Portanto, a falta do repouso não foi o causador da oligoozospermia, e sim a doença em si.
2) É possível que um mesmo homem possa ser infectado pelo vírus da caxumba mais de uma vez, mas não há como garantir.
3) Não. Os efeitos da caxumba sobre o testículo são irreversíveis. Não existe remédio. Entretanto, deve-se esperar pelo menos 6 meses, com espermogramas a cada 3 meses, para verificar a taxa de produção de espermatozóides.
4) Cerca de 50% dos homens com inflamação no testículo causada pela caxumba (orquite) ficam inférteis, e isto é irreversível.
5) Sim. Deverá contudo, aguardar o tempo de 6 meses para verificar a taxa de produção de espermatozóides. Dependendo da taxa de produção, poderá haver a gravidez natural, e em outros casos, com auxílio das técnicas de reprodução assistida (inseminação artificial ou fertilização in vitro).
6) Não. Infertilidade não tem nada a haver com capacidade de ereção, desejo sexual e ejaculação. A potência é dependente dos hormônios masculinos, além da circulação sangüínea no pênis e dos nervos no local. A inflamação causada pela caxumba não atrapalha nenhum destes fatores.
7) Sim, é possível. Caso houvesse uma diminuição na produção de espermatozóides, a inflamação poderia ter piorado um quadro de infertilidade já vigente.
Atenciosamente,
Dr. Sandro Esteves


CRIPTORQUIDIA

Foi diagnosticado em mim varicocele à esquerda e quando criança fui operado de criptoquidia à direita. Meus espermogramas deram redução na qualidade dos espermatozóides e estou com dificuldade de engravidar minha esposa.

Em breve vou fazer a cirurgia de varicocele.

Quero saber se com a correção da varicocele e tendo criptoquidia corrigida (em lados opostos) diminuem a chance de meu espermograma melhorar no pós cirúrgico.

Sou atleta amador, participo de corridas de 10 Km e faço corridas freqüentes em esteira. Isso pode estar piorando a varicocele ? O que fazer em relação a isso ?

Através da palpação médica o diagnóstico é esclarecido ou é melhor fazer exames específicos ?

Agradeço a atenção e aguardo um retorno,

Rodrigo.

Resposta do dr. Sandro Esteves:

Prezado Rodrigo:
1) O fato de você ter tido criptorquidia pode realmente diminuir a chance do espermograma melhorar após a correção da varicocele. Se a correção da criptorquidia ocorreu antes dos 2 anos de idade, a tendência é que a criptorquidia não atrapalhe a melhora que deve advir da correção da varicocele.
2) Exercícios físicos não pioram a varicocele, que é um problema hereditário, e nada tem a ver com esforços. Você pode continuar com os esportes, que faz bem à sua saúde.
3) O diagnóstico da varicocele é realizado pela palpação. Não há necessidade de exames específicos. Entretanto, recomenda-se sempre consultar um especialista, pois a varicocele é muito comum dos dois lados, principalmente no seu caso onde já houve cirurgia à direita.
Atenciosamente,
Dr. Sandro Esteves


VARICOCELE

Oi, Claudia, tudo bem?

Adorei a sua coluna e tenho certeza que você vai me acalmar!

Tento engravidar há 6 anos e nunca consegui!
Tinha Ovários Policísticos e fiz uma Videolaparoscopia (26/02/2003) para cauterização dos cistos...., nessa vídeo foram encontrados alguns focos de endometriose que também foram tratados.

Fiz uma ecografia recentemente e estou 'curada', talvez temporariamente.

Meu marido fez um espermograma há 4 anos e estava tudo OK.

Após a minha videolaparoscopia, tentamos uma Inseminação Artificial, e nesta foi detectado uma baixa taxa de espermatozóides.

Fizemos mais alguns espermogramas e tivemos o mesmo resultado (baixo).

Tentamos uma nova Inseminação Artificial mesmo assim...., sem sucesso.

Agora, estamos consultando um Urologista que solicitou um ECODOPPLER Escrotal para verificar a possibilidade de Varicocele (o que não foi detectado à olho nu). O médico solicitou também mais um espermograma......

Já faz quase um mês que consultamos com esse médico e ainda não tivemos coragem de fazer os exames solicitados.......

Estamos muito desanimados e cansados.....

Gostaria de alguma palavra de incentivo e/ou alguma sugestão para que possamos prosseguir....., pois no momento estamos descrentes dos médicos e tentando engravidar naturalmente, apenas verificando o período fértil (tabelinha).....

Meu marido já falou que não fará cirurgia se realmente for detectado a Varicocele.....

Gostaria de saber também se existe algum tratamento com medicamentos para o aumento da taxa de espermatozóides (ao invés da cirurgia).

Conto com a sua ajuda!

Obrigada.

Priscila Souza

Resposta do dr. Sandro Esteves:

Prezada Priscila:
O diagnóstico da varicocele é realizado pela palpação. Nos casos de inexistência da varicocele à palpação, mesmo que apareça no ecodoppler, não há indicação cirúrgica. Entretanto, é importante que o exame de palpação seja realizado por um urologista, de preferência com experiência em infertilidade masculina, pois varicoceles pequenas podem passar desapercebidas.

Caso haja varicocele, o tratamento indicado é a correção por microcirurgia, que é a cirurgia que oferece os melhores resultados de melhora. Não existe NENHUM medicamento que possa realmente melhorar a taxa de produção de espermatozóides.

Caso seu marido se recuse a tratar a varicocele, o caminho é a fertilização in vitro, uma vez que as inseminações não deram certo. Entretanto, gostaria de lembrá-los que é fundamental a participação do casal para que vocês consigam ter um filho. A recusa do homem para enfrentar um problema não é incomum, e o resultado só virá com a participação dos dois. Não tem como você ter um filho sozinha, e o homem não pode ser um mero coadjuvante que coleta o sêmen no dia marcado para a inseminação ou a fertilização.

Tenha fé, não desista. Lutem pelo vosso sonho.

Atenciosamente,
Dr. Sandro Esteves

GRAVIDEZ

Tomei anticoncepcional (perlutan) durante 6 anos e 2 meses tomei (mecigyna). Faz 4 meses que não tomo, mas também nao consigo engravidar... o que devo tomar??

Grazihella

Resposta de Cláudia Collucci:

GRAZIHELLA,
as investigações da infertilidade devem ser iniciadas após um ano de tentativas de tiver menos de 35 anos. Se tiver mais, aconselho que procure um médico ginecologista e fale que você quer avaliar sua fertilidade. Há exames básicos (de dosagens hormonais, raio x das trompas, ultra-som do útero, além do espermograma do seu marido) que podem mostrar como está a sua fertilidade.
Abraços
Cláudia Collucci


LAQUEADURA

Fiz uma ligadura quando tinha 29 anos e agora estou querendo ter um novo bebê com outro parceiro.Tenho 42 anos. Quais são as minhas chances? E quanto seria o custo para isso?
Agradeço pelo retorno em breve.

Resposta de Cláudia Collucci:

Mara, é preciso avaliar primeiro se há condições de reverter a laqueadura. Se for possível e se você ainda tiver uma boa reserva ovariana (isso pode ser medido por meio de dosagens hormonais), uma gravidez (com todos os riscos de uma gravidez tardia) pode ser possível naturalmente. Se a reversão não for possível, a alternativa é uma Fertilização In Vitro. Os preços em São Paulo variam de R$ 8.000 a R$ 18 mil cada tentativa.

Abraços e boa sorte

Cláudia Collucci


FIV/ICSI

Cláudia: Quantas tentativas de FIV são aceitáveis para se obter sucesso ? Qual a probabilidade de se obter sucesso na primeira ? Abraços.

Resposta de Cláudia Collucci:

Olá, há estudos que mostram que três tentativas de FIV podem resultar em 80% de chances de gravidez. Na primeira tentativa, as chances de uma mulher até 35 anos são cerca de 35%.
Abraços
Cláudia Collucci


ÓRFÃOS

Oi,
Me chamo Gabriela e moro na zona leste de São Paulo e ao ler sobre 'GRAVIDEZ DA MELHOR AMIGA 2' gostaria de saber se você conhece algum endereço de orfanato de bebês para que eu possa trabalhar como voluntária, pois estou casada a 3 anos e não consegui engravidar ainda, e como a Paloma tenho muito amor a dar e trabalhando com crianças acho que vai me ajudar acabar com a ansiedade de ter um filho.

Nosso sonho, meu e do meu marido, é adotar o segundo bebê. O primeiro o meu marido faz questão de vir naturalmente.

Se possível retorne meu email.

Atenciosamente Gabi

Resposta de Cláudia Collucci:

Olá, não conheço orfanato específico de bebês. Conheço algumas instituições que têm crianças maiores. Talvez, ligando no fórum mais próximo a sua casa e perguntando pela Vara da Infância e da Juventude, você consiga alguns endereços porque todas as instituições devem ser credenciadas no Juizado.
Abraços
Cláudia Collucci


OVULAÇÃO

Oi Cláudia,

Já tive oportunidade de ler sua coluna na Folha Online e achei ótima.

Vou te contar minha história de forma bem resumida.

Sou casada a 6 anos, tenho 29 anos, meu marido tem 36 anos, utilizei pelo menos por 3 anos com método anticoncepcional a injeção Depro-provera, a ultima injeção que tomei foi em julho/01 desde então estou tentando engravidar, meu ciclo normalizou por voltar de julho/02, já fiz 3 seções com o clomid, já fiz vários exames dentre eles avaliação hormonal, acompanhamento da formação de folículos por meio de ultra-som e a tão falada histerossalpingografia, (normal, a única coisa que meu médico disse e que eu tenho o útero retrovertido, mas que isso não impossibilitaria uma futura gravidez),Espermograma do meu marido apresentou quantidade baixa de esperma, ele tomou remédio e voltou a fazer um novo exame que apresentou normal.

Guando estava no meu período fértil não notava o meu muco cervical (a tão falada clara de ovo), apesar de na ultra-som informa que estava ovulando normalmente, em dezembro/03 notei o muco cervical bem espesso, em 29/12/03 veio a noticia, meu sonho se realizaria, estava grávida, porém tive um aborto espontâneo por volta da 5º semana de gestação.Não precisei fazer a curetagem.

Logo após o ocorrido voltei ao médico e ele pediu um novo espermograma do meu marido que acusou que ele estava com 85% dos espermas normais, meu médico passou para ele vitamina'A '.

Depois que tive o aborto espontâneo voltei a não ver o muco cervical, estou estranhando o fato, já que na única vez que vir meu muco cervical espesso eu engravidei, porque será que está acontecendo isto.

Sinceramente, estou bastante triste,a gravidez e um sonha tanto para mim e quanto para o meu marido.

Por favor Cláudia, me ajude. Aguardo ansiosa sua resposta e orientação.

Aproveito para parabeniza-lá pelo seu espaço que ajuda a tantas outras futuras mamães.

Um forte abraço.

Joyce

Resposta de Cláudia Collucci:

Oi Joyce, o muco é um sinal importante, mas não é o único indicativo da ovulação. Como você bem percebeu, quando fez o ultra-som, você tinha folículos, mas não notou mudança no muco. O importante é saber se depois do aborto suas taxas hormonais estão OK. Se a sua menstruação estiver regulada já é um bom sinal, mas, para tirar a dúvida, converse com sua ginecologista.

Abraços

Cláudia Collucci


CONGELAMENTO DE ÓVULOS

Olá!

Como muitas mulheres desses tempos em que vivemos, cheguei aos 37 anos (já quase 38) e ainda não me casei nem tive filhos. Tive a primeira menstruação aos nove anos e desde então nunca usei nenhum método contraceptivo que interrompesse o ciclo menstrual, de forma que já tenho quase 30 anos de vida fértil.

Apesar de a expectativa de vida ter aumentado, de as mulheres poderem priorizar a carreira quando mais jovens, deixando a formação de uma família para mais tarde, o relógio biológico continua implacável, e temo deixar de ser fértil dentro de pouco tempo.

Por desejar vir a ter filhos com a minha própria carga genética (sem recorrer à doação de óvulos) e não poder prever quando vou tê-los - pois que o candidato a pai biológico e de criação ainda não cruzou minha vida - gostaria de saber se o processo de congelamento de óvulos é uma solução indicada para mim. Já li opiniões controversas: uns artigos dizem que a técnica ainda é um tanto experimental; no entanto há clínicas que oferecem o procedimento.

Enfim, gostaria de ouvir sua opinião e, se possível, de ter indicações de profissionais no Rio de Janeiro.

Um abraço!

Cláudia

Resposta de Cláudia Collucci

Cláudia, até onde sei, não há segurança no método de congelamento de óvulos. Ainda é uma técnica experimental e eu não sabia que já existiam clínicas oferecendo o serviço. Você pode me dizer quais são elas?
Abraços
Cláudia Collucci

LIVROS

Li sua coluna e estou com interesse de adquirir um de seus livros, aonde indicaria para comprá-los .

Obrigada

Lucia

Resposta de Cláudia Collucci:

Oi Lúcia, seguem os sites das editoras que lançaram os meus livros. Eles têm serviço de atendimento ao leitor e podem auxiliá-la. Clique aqui para entrar no site da Palavra Mágica e aqui para entrar no site da Editora Atheneu

Abraços
Cláudia

ABORTOS

Prezada Cláudia
minha irmã engravidou 2 vezes e infelizmente abortou as 2 vezes antes de completar a décima semana. os médicos não conseguem dizer qual é o problema, e a única alteração que ela teve as duas vezes foi o aumento do hormônio HCG inclusive após o abortos. será que você poderia ajudar dizendo ao menos o que poderia ser?

obrigada,

Carolina

Resposta:

Carolina, infelizmente, não dá para fazer uma avaliação com apenas essas informações. Você sabe se foram feitos exames genéticos no material do aborto? Apenas eles podem indicar se há alguma síndrome ou anomalia cromossônica que impede a continuação da gravidez. Se os exames foram feitos e não foram encontradas alterações, pode-se investigar se não há problemas imunológicos entre o casal. Mas, se quiser, passe mais informações que eu as encaminhe a um médico especializado.
Abraços
Cláudia Collucci


NA TENTATIVA

Cara Cláudia,
sou uma jovem portuguesa de 28 anos, casada há 5 anos, e ando há 2 anos a tentar engravidar, sem sucesso... Descobri num exame recente que tenho uma trompa obstruída, e durante uma busca no Google para tentar saber mais sobre isso descobri esta coluna... Por um lado fiquei feliz, já que ando (obviamente) desesperada... mas por outro lado ainda fiquei mais triste, ao ler histórias de casais com o mesmo problema que eu e o meu marido enfrentamos. Acho que só quem passa por isso é que sabe o que é a angustia de todos os meses ver que ainda não foi e tentar manter o sorriso na cara e o optimismo e pensar 'não faz mal, para o mês que vem é que vai ser'. Mas o tempo vai passando e não chega... Os amigos e a família vão perguntando, e ou respondemos que 'ah, ainda é cedo para isso' (ao que eles respondem: mas já passaram 5 anos!!), ou dizemos que realmente há um problema e aí a rejeição é total... os olhares de pena... isso é o que eu acho que ainda custa mais.
Durante estes dois anos tenho assistido incrédula àquilo que supostamente seria injusto: a minha cunhada engravidou logo à primeira tentativa, o meu primo teve o seu primeiro filho ontem, uma amiga deu-se ao luxo de provocar um aborto porque 'não lhe dava jeito' ter um filho nesta altura... entre outros, muitos outros que prefiro nem pensar. Chego a um ponto que nem sei o que devo ou não fazer, ou pensar ou sentir. A tristeza cada vez é maior, o sentimento de revolta e a vontade de enfrentar tudo é cada vez menor. Resta apenas a esperança que venha o tão desejado dia em que poderei sentir o que é ser mãe.
Desejo a todos os casais que estão nesta situação que rapidamente os seus problemas (se é que existem) sejam detectados e resolvidos, e que não se deixem ir abaixo... nesta fase estamos todos muito vulneráveis, e às vezes custa muito dar sequer os parabéns a alguém que sabemos que vai ser pai/mãe.
Beijinhos para todos, Vanda

Resposta de Cláudia Collucci

Oi Vanda, obrigada pelo depoimento. E boa sorte para todas nós nessa busca pela maternidade.
Abraços
Cláudia Collucci


POSIÇÃO

Oi Claudia!
Gostaria de saber qual a melhor posição pra conseguir engravidar.
E onde posso encontrar este seu livro: Porque a gravidez não vem?
Rafaelly

Resposta de Cláudia Collucci

Rafaelly, não há nenhuma evidência científica de que a posição no ato sexual interfira na gravidez. O ideal é que você e o seu parceiro façam os exames necessários (, exames hormonais, raio x das trompas e do útero; ele, um espermograma) para saber se está tudo certo. Sobre o livro, você pode consultar o site da editora e verificar com o serviço de atendimento ao leitor onde há o livro disponível ou comprá-lo pelo próprio site. Clique aqui para entrar no site

Abraços
Cláudia Collucci
Cláudia Collucci, repórter da Folha de S. Paulo, é mestre em História da Ciência pela PUC-SP e autora dos livros "Por que a gravidez não vem?", da editora Atheneu, e "Quero ser Mãe", da editora Palavra Mágica. Escreve quinzenalmente na Folha Online.

E-mail: claudiacollucci@uol.com.br

Leia as colunas anteriores

FolhaShop

Digite produto
ou marca