Colunas

Quero Ser Mãe

24/06/2004

Progesterona vaginal na fase lútea melhora implantação de embrião

CLÁUDIA COLLUCCI
colunista da Folha Online

Foi isso que constatou um estudo feito pelos ginecologistas Marcos Sampaio e Selmo Geber, da Clinica Origen (BH), com 240 mulheres que se submeteram a tratamentos de fertilização "in vitro". O trabalho mostrou um aumento na taxa de gravidez com o uso da progesterona vaginal após a transferência dos embriões para o útero.

Segundo Geber, as pacientes foram divididas aleatoriamente em dois grupos iguais e cada uma delas recebeu medicamentos diferentes. O objetivo era determinar uma forma mais eficaz de suplementação da fase lútea (complementação artificial de progesterona) para melhorar os índices de fixação dos embriões no útero e, conseqüentemente, as taxas de sucesso dos procedimentos de FIV. Os especialistas utilizaram progesterona vaginal, e não intramuscular como em estudos anteriores.

O estudo será apresentado durante o Encontro Europeu de Reprodução Assistida e Embriologia, que acontece em Berlim, entre os dias 27 e 30 de junho. Também será publicado na revista Human Reproduction, uma das mais conceituadas na área médica mundial.

Vários especialistas da área já utilizam essa droga nos tratamentos de FIV e ICSI, mas é a primeira vez que se faz um estudo científico sobre a eficácia do método.

Para entender

A FIV é uma técnica desenvolvida com o intuito de recriar em laboratório os fenômenos que ocorrem no corpo da mulher, especialmente nas trompas, durante o processo reprodutivo. Assim, as cinco principais funções da trompa --captação ou coleta do óvulo; transporte do espermatozóide até ele; ambientação adequada para que ocorra a fertilização; local adequado para que ocorra o desenvolvimento embrionário e transporte ou entrega do embrião até o útero-- são reproduzidas em laboratório. Após esse processo, é preciso que o endométrio (camada que reveste o útero) se prepare para receber e fixar o embrião fecundado (fase lútea). Foi nesse estágio do processo que a pesquisa foi realizada

Os especialistas buscaram uma forma mais eficaz de suplementar a fase lútea, ou seja, de complementar a dose de progesterona para que o embrião pudesse se fixar com mais facilidade na parede uterina. Essa costuma ser uma das fases mais críticas do tratamento porque, muitas vezes, embora o embrião seja perfeito e toda a situação favorável, o embrião não fixa à parede uterina.

É claro que o mistério ainda continua. Mesmo com a complementação, a maioria das gravidezes ainda não ocorrem para o desespero dos casais e dos médicos. É o que eu sempre digo: a tecnologia avança, os médicos se especializam, mas há uma força maior regendo toda essa orquestra sobre a qual não há ciência que vença. Abraços e boa semana a todos.

*Melhor frase

Algumas leitoras mandaram mensagens solicitando a notícias sobre os vencedores da campanha da infertilidade, promovida pelo Instituto Sapientiae (associação assistencial e educacional sem fins lucrativos). A frase ganhadora foi: 'Fertilidade tem prazo de validade; preserve a sua'. O vencedor da melhor frase é um casal do Rio de Janeiro_ Elza Silva Batista e Luiz Carlos Moreira Silva, que tenta um bebê há 11 anos. Ela tem 42 anos e a clínica já começou a proceder a investigação que antecede o estímulo ovariano.

Eventos gratuitos sobre infertilidade

A Corplus programou para este mês e o próximo vários eventos gratuitos relacionados à infertilidade. Além e palestras sobre os tratamentos de reprodução assistida, haverá reuniões com psicólogas para tratar dos aspectos emocionais da infertilidade. Segue a programação:

- dia 29/6, 3a feira, das 19h30 às 21h00 - Reunião de casais sob coordenação da psicóloga Beatriz Almeida

- dia 13/7, 3a feira, das 19h30 às 21h00 - Palestra sobre infertilidade com dr.Gilberto da Costa Freitas e dr.Artur Dzik, especialistas em medicina reprodutiva

- dia 27/7, 3a feira, das 19h30 às 21h00 - reunião de casais sob coordenação da psicóloga Luciana Leis

Local: Clínica J.A.Pinotti - Av. Brasil, 622 - Jardim América - SP

As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas por meio do site www.corplus.com.br, e-mail atendimento@corplus.com.br ou do tel. 0/xx/11/ 3707-1400.
Cláudia Collucci, repórter da Folha de S. Paulo, é mestre em História da Ciência pela PUC-SP e autora dos livros "Por que a gravidez não vem?", da editora Atheneu, e "Quero ser Mãe", da editora Palavra Mágica. Escreve quinzenalmente na Folha Online.

E-mail: claudiacollucci@uol.com.br

Leia as colunas anteriores

FolhaShop

Digite produto
ou marca