Colunas

Quero Ser Mãe

09/09/2004

Espaço do leitor

da Folha Online

CISTOS OVARIANOS

Querida Cláudia,

Sempre leio sua coluna e acho muito legal esse trabalho que você faz. Vou contar um pouco da minha história e das minhas dúvidas para que você possa me ajudar.

Tenho 31 anos, casada a 5 e tentando engravidar a 2,5 anos. Bom já fiz a maioria dos exames convencionais para diagnosticar a causa da infertilidade e não se descobriu nada, todos apresentam normais inclusive do meu marido.

Então minha médica receitou Clomid para ambos que já completaram 3 ciclos, sendo que agora neste último ela passou o choragon 5000 com a monitoração com US transvaginal, só que depois da 1º aplicação do choragon no dia seguinte fiz US e apresentou ovários aumentados de volumes à custa de 04 folículos menores de 2,7 cm a direita e 06 folículos menores que 1,9 cm a esquerda.
ovário direito: 18,0 cm3 e ovário esquerdo: 11,6 cm3
o eco endometrial medindo 0,7 cm de espessura

Dois dias depois fiz nova US, pois caso apresentasse folículos maiores que 1,8 cm deveria tomar a 2º dose do choragon. Só que o resultado da US foi a seguinte: ovários aumentados de volumes à custa de 04 folículos menores que 0,6 cm e imagem cística de conteúdo espesso e finas septações, medindo 3,0 cm à direita e 06 folículos menores que 1,9 cm a esquerda sendo que um único folículo que mede 1,9 cm esta com o conteúdo espesso.
Ovário direito: 27,0 cm3 e ovário esquerdo 17,0 cm3
o eco endometrial medindo 1,2 cm de espessura.

Conclusão dessa última
US: cistos de aspecto hemorrágicos em ambos os ovários.
Moderada quantidade de líquido livre peri-ovariano bilateralmente e no fundo de saco anterior.

Depois desse exame fiquei com medo e não tomei mais a segunda dose do choragon e não consigo tirar essa dúvida com minha médica, pois essa viajou. E então gostaria de sua opinião sobre esses exames, pois estou com medo desses cistos. será que terei de operar?

Obrigada,

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada Nailde, a presença dos cistos ovarianos são conseqüência da estimulação da ovulação com o Clomid. Pelo relatório ultrassonográfico você teve uma resposta relativamente forte só com Clomid. A presença de liquido no fundo de saco é um sinal de ovulação.


CICLO MENSTRUAL

Boa tarde!

Quanto tempo o ciclo menstrual volta ao normal após 8 anos usando Harmonet? No meu caso, no 1º mês houve atraso de 10 dias, menstruei normal, quando estava no fim (como borra de café) sangrei novamente e o aspecto de borra de café persiste até o momento (5 dias). Meu médico disse que parando de tomar a pílula seria tudo normal, pois se trata de baixa dosagem.
No próximo mês pode acontecer de novo? Tenho 39 anos, não tenho filho: é tarde para tentar?
Obrigada pela atenção!

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada paciente, realmente o Harmonett é uma pílula de baixa dosagem. Os dados mostram um retorno da fertilidade rápido. O que mais preocupa no seu caso são os 39 anos. É sabido que a fertilidade diminui com a idade. Não é tarde para tentar e o primeiro passo você já tomou (parar com a pílula).


SANGRAMENTO

Olá Claudia!

Tenho 24 anos, não tenho filhos. Há uns 3 anos não me dou bem com pílula nenhuma. Tenho sangramento durante o período em que estou tomando, não sei mais o que é menstruação e sangramento.

Mudei de médico várias vezes, tomei todas as pílulas que você pode imaginar. O atual me disse que não posso tomar hormônio. Fiquei um mês sem tomar nada e me senti super bem. Mas como eu e meu esposo não gostamos de usar camisinha, fui novamente ao médico e ele me indicou Cerazette. Voltei a ter cefaléia no segundo dia...

Estou cansada desta situação. Não quero engravidar agora! Meu médico sugeriu DIU, alertando para a chance do útero não aceitar. Daí, jogaria R$ 500 no lixo.

Não sei o que fazer!

Será que pode estar acontecendo algo mais sério? Posso estar grávida, pois estou sangrando há mais de 10 dias?

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada Samanta, quanto a uma possível gravidez é pouco provável, mas só uma avaliação mais detalhada para ter esse diagnóstico. Pela sua história, acredito que o DIU é uma boa opção. O índice de rejeição é muito baixo.

Um abraço!

Samanta


OVÁRIO POLICÍSTICO

Cara Cláudia meu nome é Francielli, tenho 16 anos de idade.

Há algum tempo atrás eu estava com muita irritação na entrada da minha vagina, então no dia 21/04/04 resolvi procurar um ginecologista, ele me examinou e receitou uma geléia vaginal cuja a composição é METERONIDAZOL e comprimidos POLIBIOTIC também composto por METERONIDAZOL. Ele me pediu dois exames o de ULTRA SONOGRAFIA PÉLVICA e também o PREVENTIVO. Existe algum medicamento que acabe de vez com o corrimento?

O resultado da ULTRA saiu e consta o seguinte:

Exame realizado de modo bidimensional com equipamento dinâmico de varredura convexa, por acesso abdominal na freqüência de 3,5 Mhz.
A bexiga urinária tem aspecto normal
O útero encontra-se em AVF, com contornos regulares.
Miométrio de textura homogêneo
Endométrio hiperecogênico medindo 11mm.
O fundo de SACO DE DOUGLAS encontra-se livre

Dimensões útero ovário direito ovário esquerdo
Longitudinal 83mm 38mm 36mm
Antero posterior 35mm 22mm 26mm
Transversal 55mm 25mm 26mm
Volume 71,2cm 10,8cm 12,6cm.

Foi constatado também que eu tenho ovários micropolicísticos.

A minha dúvida é se terei dificuldades em ter filhos e se os tamanhos mencionados acima são normais.

Gostaria de saber também sobre os diagnósticos anteriores como o útero em AVF, o que seria isso?

Por favor se puder enviar a resposta por este mesmo e-mail ficarei grata.

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada paciente, quanto ao problema do corrimento você já está bem medicada e deve melhorar. Você é muito jovem para se preocupar com eventuais dificuldades para engravidar. Não se preocupe com isto neste momento. O fato de ter encontrado ovários polimicrocistico não significa que você terá necessariamente problemas no futuro.


SOP

Prezada Claudia,

Sou casada há dois anos e estou tentando engravidar desde então. A passar pelo meu médico diz vários exames incluindo uma vídeo laparoscopia que exclui a possibilidade de endometriose, mas, constatou a SOP. Foram também realizados exames com o meu marido e foi constato que o mesmo está normal não tendo nenhum problema.

Baseado no diagnóstico foi solicitado a ingestão da medicação Serophene do 5º ao 9º dia do ciclo e, no 14º dia um ultra-som para controle de ovulação para poder ser feita uma indução subcutânea com o Ovidrel a fim de estimular a ovulação. Gostaria de saber quais as chances reais que tenho de engravidar fazendo esse procedimento e se é possível eu ficar grávida somente com a ingestão do Serophene sem que eu tenha que utilizar o Ovidrel .

Atenciosamente,

Carla Veira

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada Carla, a taxa de gravidez com a realização do coito programado é de 10 a 15% por tentativa. A decisão da utilização do ovidrel deve ser tomada em conjunto com seu médico.

OBSTRUÇÃO BILATERAL DAS TROMPAS

Olá, Cláudia, é um prazer estar entrando em contato com você.

Me chamo Isabel e estou tentando engravidar há dois anos e não consigo. Estava com um médico que só me pediu exames de sangue e urina, e ao meu marido pediu apenas o esperma que, segundo ele, estaria tudo bem. Então me passou o Clomid para aumentar a ovulação e nada. Bom, resumindo, mudei para outro médico. Esse sim especialista em fertilização aqui em São José dos Campos. Me passou uma bateria de exames, inclusive um que eu nunca havia feito. Chama-se histeropingorafia. Acusou obstrução bilateral das trompas. Segundo o médico, o caso seria só proveta. Fiquei assustada e ele me pediu agora para fazer a videolaparoscopia. Já estou providenciando os exames.

Gostaria de saber mais a respeito da obstrução das trompas e se isso realmente me impedirá de ser mãe um dia, pois já estou com quase 35 anos. Encontrei alguém que me disse que se o caso fosse confirmado eu poderia conseguir o tratamento no Pérola Byngton, pois em clínica particular não teria condições. Não sai por menos de R$ 6.000.

Desde já agradeço a atenção. Aguardo sua resposta.

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada Isabel, o quadro de obstrução tubária bilateral numa paciente com 36 anos, a indicação de fertilização in vitro é a mais indicada.

Existem alguns serviços públicos, dentre eles o Hospital Pérola Byington, que realizam este tratamento de forma gratuita. O único fato a ser reforçado é que já existe uma lista de espera para este tipo de tratamento no serviço público.

GRAVIDEZ TUBÁRIA

Olá, Claudia!

Tenho 34 anos e há 2 meses (dia 21/Junho) dei início a um aborto espontâneo, após um sangramento. Ao realizar um exame de ultra-sonografia transvaginal, o resultado foi apenas de gravidez anembrionária. Devido as dores, fui internada para a realização de uma curetagem. Após a mesma, tive que ser submetida a uma nova cirurgia, uma laparotomia (corte abdminal) de urgência, devido a uma hemorragia importante, quando a trompa direita foi extraída, em razão de uma gravidez ectópica, que em nenhum resultado de ultra anterior havia sido diagnosticada. O meu médico me informou ainda que, pelo resultado das análises, as duas gravidezes teriam tempos diferentes.

Fui informada que outra gravidez só seria possível após mais de um ano.

Breve Cronologia:

Durante 2 anos (de Nov/00 até Nov/02) tomei injeções trimestrais da Depo Provera. As injeções me causaram amenorréia desde Fev/03 e só consegui menstruar em Julho/03 com a ajuda da Pílula Diane que tomei apenas por 2 meses (Junho e Julho), para tratar também ovários policísticos. De Julho em diante as menstruações vieram bastante irregulares. Não tomei mais pílulas.

A partir de Jan/04 o ciclos ficaram regulares, porém não conseguia engravidar. Em Maio tomei o CLOMID do 8º ao 12º dia do ciclo. Em Junho veio apenas uma borra, num único dia e uma semana após eu fiz o B-Hcg, que deu positivo.

Então meu médico pediu para fazer uma ultra-sonografia transvaginal, para datação correta da idade gestacional, o qual realizei no dia 16/Jun. Durante o exame não foi identificada a presença do saco gestacional regular dentro do útero, com o embrião. Fato este que me preocupou bastante. O médico que fez o exame também detectou que o meu útero estava muito vascularizado, apesar de não encontrar o saco gestacional. Refiz o B-Hcg, que deu novamente positivo.

Após 5 dias (dia 21/Jun) tive fortes dores lombares e um sangramento. Realizei uma segunda ultra-sonografia transvaginal, cujo diagnóstico foi "sem evidência de eco embrionário", por isso fui submetida no mesmo dia a curetagem, que foi seguida de uma laparotomia em caráter de emergência, acima detalhada, na qual foi descoberta a gravidez tubária.

Nunca fiz nenhum exame mais profundo, como a histerossalpingografia, antes de tomar o Clomid, sendo que agora só possuo a trompa esquerda, que aparentemente estaria normal. Será que mesmo assim terei dificuldades em engravidar? Quanto tempo devo esperar para uma próxima gravidez? Poderia o Clomid ser responsável por uma 'superfecundação'? Haveria a necessidade de fazer a FIV tendo apenas uma trompa normal? Os exames de ultra-sonografia pós-operatórios não acusaram nenhuma anormalidade. Quais exames terei de fazer para saber se tenho algum risco de infertilidade.

Claudia, aguardo ansiosamente uma orientação sua.

Abraços,

Patricia Regina

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada Regina, você deve aguardar pelo menos 6 meses para tentar engravidar novamente. O fato de ter tido uma gravidez tubária anterior e apresentar trompa esquerda normal não significa que você terá dificuldade de engravidar novamente, entretanto você tem maior risco de ter uma nova gravidez tubária numa próxima gravidez. Você deve procurar seu ginecologista assim que atrasar a menstruação para um diagnóstico de gravidez precoce. A fertilização in vitro é uma alternativa se você não engravidar espontaneamente.


OBSTRUÇÃO

Olá, amiga Cláudia, minha questão é a seguinte: meu marido fez uma reversão de vasectomia há 2 anos e 3 meses, eu engravidei, mas perdi e logo depois os canais deferentes dele obstruiu, foi diagnósticado assim porque ele fez uma biópsia, e o resultado foi que ele produz espermatozóides normalmente. Minha pergunta é : como posso ter a certeza claríssima que é uma obstrução? quero saber se existe um exame de ultrasom no testículo que desse para saber onde os canais deferentes obstruíram. e se assim for mesmo a obstrução se vale a pena reverter novamente com a técnica direto no epidídimo (vasoepidídimostomia), meu marido fez a técnica vasovaso. Quais são as chances da segunda técnica (vasoepidídomo) não obstruírem?

Quais as vantagens da técnica direto no epidídimo que a outra técnica (vasovaso) não tem?

Ou vale a pena fazer inseminação, aquela que consiste em tirar do marido e direto colocar na mulher?

Sabe, estou muita confusa em relação a tudo isso gostaria que pudessem me esclarecer pontos negativos e positivos para eu tomar finalmente uma decisão.

Desde já agradeço a atenção

Resposta do dr. Artur Dzik

Prezada paciente, as chances de sucesso numa segunda microcirurgia para reversão de vasectomia costumam ser bem menores do que na primeira tentativa. Atualmente estes casos são melhores resolvidos com as técnicas de reprodução assistida, com a coleta seminal por punção do epididimo do seu marido, seguido de micromanipulação e transferencia embrionária.


ANTICONCEPCIONAL

Olá, Claudia, eu tenho 21 anos e tenho três filhas. Há um ano uso a injeção Contra-cep 150mg ela é igual a Depro-provera, o ginecologista que me receitou essa injeção me disse que o único efeito colateral dela é engordar.

Realmente eu engordei 7 quilos desde que comecei a usar; eu passei com outro ginecologista porque resolvi parar de usar esse método anticoncepcional, e ele me disse que é arriscado mudar de anticoncepcional agora que já tomo a 1 ano e posso engravidar. Ele me disse também que essa injeção tem muitos efeitos colaterais inclusive pode 'paralisar' os ovários.

Vou ter que continuar engordando, e se quando eu estiver mais velha não conseguir mais engravidar? Por favor me ajude, hoje em dia está muito difícil encontrar um médico que oriente e ajude de verdade.

Muito obrigada,

Valéria.

Resposta da dra. Claudia Gazzo

Olá,
O Depoprovera é um tipo de progesterona que pode ser usada como anticoncepcional e para o tratamento de algumas patologias ginecológicas. Esse medicamento pode engordar e induz à uma "falsa menopausa". Se você usa esse medicamento apenas como método contraceptivo, pode trocá-lo por outro, se assim desejar seguindo as orientações do seu médico. A "falsa menopausa "é reversível.
Converse com seu médico de confiança a respeito disso.
Um abraço


TUMOR

Bom dia,

Primeiramente parabéns pela sua coluna. Meu ciclo menstrual sempre foi regular, no início desse ano devido a ausência de menstruação fiz o exame de sangue Beta HCG, o resultado foi positivo. Comecei então o pré natal, no início tive dores horríveis e pouco sangramento, fiz exames médico disse estar bem, tempos depois perdi.

Fazendo os exames foi constatado micropolicistos e um de ovario direito de 2 cm com imagem sólida. Foi marcada uma operação para retirada deste e talvez do ovário segundo o médico.

Gostaria de saber quais as conseqüências que uma operação como esta, se poderei engravidar novamente, e se o fato de ter perdido por ter sido por causa deste tumor.

Desde ja obrigada

Karine


Resposta da dra. Claudia Gazzo

Oi, Karine
Você não disse no seu e mail sua idade, mas se o tumor de ovário é sólido deve ser abordado cirurgicamente. Toda cirurgia, principalmente quando lidamos com órgãos nobres como os ovários, devem ser a mais conservadora possível, mas seu médico deve alertar sobre a possibilidade da retirada de todo ovário, pois esta existe.
Após a cirurgia você poderá engravidar novamente pois ficará com seu outro ovário. Ë importante salientar que suas chances de gravidez não serão as mesmas, pois terá apenas um ovário. Procure ajuda especializada em Reprodução Assistida após sua cirurgia.
Boa sorte.


MIOMA UTERINO

É com grande alegria que te escrevo, na esperança de uma resposta positiva,dia 04 de junho de 2004, fui submetida a uma curetagem do meu primeiro filho, tenho 30 anos e até hoje sinto dores na barriga, latejando as vezes quero me desesperar porque já não sei o que faço, já fui a duas ginecologistas a última passou BIOFENAC DIpara dores já tomei uma caixa e até agora não passou AFOPIC (Ácido fólico), contra má formação já que pretendo engravidar o mais rápido possível. Na minha ultra apresentou um mioma intramural, quando grávida, mais tudo corria bem, quando de repente comecei a sangrar minha médica passou GESTADINONA injetável, mais não teve jeito, o mioma está com 5 cm agora, a minha pergunta é: Será que vou conseguir engravidar novamente e ter meu filho? Esse meu caso é sério? por favor me responda, me dê uma luz.já estava com 4 meses quando perdi o bebê, e também estou com receio de ter relações com meu marido com medo d e machucar alguma coisa dentro de mim e piorar a situação. Me ajude muito grata desde já um grande beijo. Catende, PE 23 de julho de 2004 Rosangela Cris


Resposta da dra. Claudia Gazzo

Olá Rosangela,
Os miomas uterinos são tumores benignos que podem estar relacionados com a dificuldade de engravidar quando afastadas outra causas. Um quinto das mulheres em idade fértil apresentam miomas. O mioma intramural pode dar sangramento e deve ser estudado, no seu caso, a possibilidade de retirá-lo, facilitando sua gestação, promovendo uma boa adesão do embrião à parede uterina e melhorando seu sangramento.
A sua dor após a curetagem deve ser investigada por um exame chamado histeroscopia que vai olhar o útero por uma câmera de vídeo. Esse exame é útil para ver se o lugar onde o embrião vai se aderir está indo bem ou não.
Pode continuar mantendo relações sexuais com seu marido. Elas vão só te ajudar a melhorar, pois amenizará um pouco o seu estresse nesse momento difícil.


OBSTRUÇÃO TUBÁRIA

Dra. Claudia

Em primeiro lugar parabéns pela ajuda e confiança que a senhora passa em suas respostas. Tenho 26 anos e a 4 anos tento engravidar, fiz histerossalpingografia e constatou obstrução tubária direita e sinais de do contraste a trompa esquerda. Gostaria de saber se tenho chance de engravidar somente através da fiv, ou se também teria chance de inseminação artificial. Por favor me tire esta duvida que me atormenta tanto. desde já estou grata
Nara

Resposta da dra. Claudia Gazzo

Olá Nara,
A histerossalpingografia é um exame que estuda se as trompas estão pérvias ou não. Esse achado de obstrução unilateral deve ser confirmado por laparoscopia diagnóstica. A técnica que deverá ser utilizada no seu caso depende de seus outros exames e do espermograma do seu marido.

PARTICIPE COM OUTROS INTERNAUTAS DO FÓRUM DE INFERTILIDADE
Cláudia Collucci, repórter da Folha de S. Paulo, é mestre em História da Ciência pela PUC-SP e autora dos livros "Por que a gravidez não vem?", da editora Atheneu, e "Quero ser Mãe", da editora Palavra Mágica. Escreve quinzenalmente na Folha Online.

E-mail: claudiacollucci@uol.com.br

Leia as colunas anteriores

FolhaShop

Digite produto
ou marca