Colunas

Quero Ser Mãe

22/02/2005

Espaço do leitor

CLÁUDIA COLLUCCI
colunista da Folha Online

As dúvidas de leitores foram esclarecidas pelos médicos Artur Dzik , Selmo Geber, Cláudia Gazzo e Priscila Andrade. Porém, não dispensam consulta médica

HIPOTIREOIDISMO

Prezada Dra. Claudia,

Em 28/04/2004 realizei exames hormonais e o TSH deu como resultado 5,92 o que poderia caracterizar-se HIPOTIREOIDISMO. Em 17/08/2004 repeti os exames e desta vez o exame deu dentro da normalidade ou seja 3,5. O endocrinoligista informou que gostaria de ter outro resultado com TSH acima da normalidade para caracterizar com certeza o hipotireoidismo e assim receitar remédio para reposição hormonal. Todavia, neste mês apresentei os seguintes sintomas: falha na menstruação, os seios ficam volumosos e inchados como se a menstruação fosse ocorrer mas ela ainda não ocorreu (14 dias de atraso) e sensação de frio. Gostaria de saber se é comum ter alteração no ciclo menstrual quando se tem o hipotireoidismo, ou seja, porque a menstruação falha? A mulher com hipotireoidismo não tem ovulação ou é apenas uma alteração do ciclo menstrual? A fertilidade da mulher fica alterada? Agradeço a informação.

Eliane

Resposta da dras Cláudia Gazzo e Priscilla Andrade

Olá Eliane

O hipotireoidismo afeta 1 a 3 % da população geral e pode se manifestar com fadiga, desânimo, movimentos lentos, discreto aumento de peso ou dificuldade para perdê-lo, sonolência diurna, intolerância ao frio, memória fraca, irregularidade menstrual (e em casos mais graves até infertilidade), dores, cãibras musculares, cabelos e pele secos, queda de cabelos, unhas fracas, prisão de ventre, depressão, irritabilidade, rosto e mãos inchados. O hipotireoidismo pode ser facilmente diagnosticado por meio de um exame de sangue e é tratável. O teste identifica se há níveis baixos do hormônio T4 e níveis elevados do hormônio TSH. Essas dosagens podem ser complementadas com a determinação dos anticorpos contra a tireóide (anti-TPO e anti-tireoglobulina), o que identifica a ocorrência da doença de Hashimoto.
O tratamento do hipotireoidismo consiste na reposição oral de hormônio específico (Levotiroxina-T4), uma vez ao dia, preferencialmente pela manhã em jejum. Boa sorte.

ATRASO MENSTRUAL APÓS CURETAGEM

Oi Claúdia tudo bem?

Meu nome é Luisa, tenho 37 anos, tenho uma filha de 8 anos (gravidez sem problemas). Tive um aborto retido ( 2 meses) setembro/03, não precisei fazer a curetagem. Em junho de 2004, engravidei novamente, fiz a curetagem no dia 21/08/2004. Todos os meus exames deram normais, inclusive a biopsia do saco gestacional (porque não havia nada nele), no primeiro aborto também não havia. O médico falou que era aborto normal. O que eu quero saber se é normal depois da curetagem ficar tanto tempo sem menstruar ? Desde Já agradeço. Um abraço

Maria Luisa.

Resposta da dras Cláudia Gazzo e Priscilla Andrade

Cara Maria Luisa

A sua irregularidade menstrual após a curetagem não é explicada pelo procedimento cirúrgico somente. Você pode estar com algum problema hormonal. Sugiro que procure um ginecologista de confiança para elucidar melhor seu problema.

PROLACTINA

Há mais ou menos 6 anos minha menstruação atrasou por 15 dias, fui ao ginecologista que, após alguns exames, descobriu que eu estava com prolactina alterada, fiz um tratamento na época e os hormônios se regularizaram, depois de mais ou menos 1 ano comecei a produzir leite, retornei ao ginecologista e mais uma vez fiz tratamento para regularização de prolactina, mas logo depois do tratamento voltei a produzir leite, o ginecologista me afirmou que por causa disso não poderia engravidar e me deu novamente guia para exames de prolactina, acostumada com o problema demorei um pouco para fazer os exames e minha menstruação atrasou novamente, fui a um médico plantonista e solicitei exame de gravidez, e minhas suspeitas eram reais, estava grávida, então com uns dois meses de gestação constatei que não estava mais produzindo leite, fique tranqüila e curti minha gravidez, mas depois do bebê nascer o leite para amamentar o bebê secou e o pouco que tinha antes da gravidez continua, fui a ginecologista novamente, ele me pediu novamente os exames e nada acusaram, o médico me explicou que pode ser psicológico, por estresse, mas por conta disso estou fazendo tratamento com psiquiatra e mesmo assim continuo produzindo leite, gostaria de saber se não há uma maneira de me livrar disso.

Obrigada,

Mirele

Resposta da dras Cláudia Gazzo e Priscilla Andrade

Mirele

As taxas normais de prolactina podem variar de 0 a 20 ng/ml. Notar que a dosagem do hormônio tireoideano, afim de afastar o hipotireoidismo, é de extrema importância por ser uma causa frequente de galactorréia (saída de leite pelos mamilos). As causas de hiperprolactinemia podem ser:

- Tumor de hipófise (prolactinoma) geralmente com valores de prolactina 200ng/ml

Estresse e exercícios físicos

- Uso de drogas (metoclopramida, sulpiride, haloperidol, domperidona, ranitidina, etc.)

- Hipotiroidismo primário

- Síndrome dos ovários policísticos (quadro de hiperandrogenismo com PRL, em geral, < 100 ng/ml).

- Macroprolactinemia (pacientes são assintomáticos)

O mais importante é saber a causa da sua prolactina elevada e tratar e acompanhar. É uma doença endócrina que possui tratamento e controle.

Continue se tratando OK?

DORES PÉLVICAS

Dra. Claudia, bom dia

Há um ano passei por uma cirurgia para retirada de septo uterino, o diagnostivo foi através de exame - ressonância magnética, após esta cirurgia melhorei muito, pois sentia muitas dores pélvicas. Porém a dois meses atras, fiquei internada por motivo de cisto folicular hemorrágico ---fiz tratamento clínico e agora passo bem, fora algumas dores pélvicas que sinto com frequência - tipo caimbras no útero , há uma semana fiz exame - histerossalpingografia e foi detectado utero arqueado.

Questino: O motivo das dores pélvicas , são por este motivo mesmo? E posso algum dia engravidar?

No aguardo,

Atenciosamente,

Mara

Resposta da dras Cláudia Gazzo e Priscilla Andrade

Mara

O útero arqueado é um tipo de malformação uterina. Ainda não sabemos ao certo a conseqüência reprodutiva desse tipo de anomalia, podendo representar apenas uma variação do normal não sendo indicada abordagem cirúrgica para esses casos. Suas dores pélvicas não são justificadas somente por essa variação do normal. Os septos uterinos podem se refazer e, nesse caso, suas dores estariam justificadas.

LUTERO UNICORNO

Oi Cláudia,

Se possível gostaria de saber se o útero unicorno é causa da dificuldade de engravidar. Se há algum medicamento caso a mulher engravide, para não perder o nenê?

Resposta da dras Cláudia Gazzo e Priscilla Andrade

O útero unicorno, septado e o bicorno são causas de abortamento de repetição e dificuldades para gestação. Em alguns casos se indica o fechamento do canal cervical (cerclagem)e são administrados comprimidos de progesterona.

ABORTO DE REPETIÇÃO

Olá,Claudia eu sei que é muito difícil você me dizer alguma coisa se eu poderei o não ter outro filho.

Eu acho meu caso muito curioso engravidei aos 20 anos perdi meu primeiro filho aos 2 meses e meio, fiz a curetagem somente para retirar coágulos, pois já tinha pertido o feto. Quatro meses depois fiquei grávida novamente tamanha era ansiedade de ser mãe. Novamente a frustração após 2 meses e meio perdi só que desta vez foi aborto retido sem nenhum sangramento ou perda de liquido. Fiz uma curetagem tomei anestesia geral. Isso aconteceu no meu primeiro casamento. Hoje meu ex tem outra mulher e uma filha.

Aproximadamente uns 3 a 4 anos tive um namorado e fiquei gravida perdi novamente depois de 2 meses e meio desta vez nãoao precisei fazer a curetagem. Dois anos depois casei e engravidei do meu segundo marido nos dois primeiros meses de gravidez tive um sangramento fui ao medico e ele disse que era de fora do útero. Fiz a endo vaginal e meu bebê esta bem. Foi uma gravidez dificil emocionalmente, tive pneumonia ao 8 meses,cólica de rim. Enfim consegui ter o meu tão esperado filho de parto cesaria. Meu filho nasceu com 4 kg e meio 52cm, no dia 16/09/1999.

Em julho do ano passado engravidei depois de 5 anos ,descobri já estava de 1 mês 15 dias após a descoberta comecia a ter sangramento fiz repouso mas não adiantou fiquei no hospital e fiz indução com Citotec para retirado do feto.

Segundo a médica, o tamanho do saco gestacional está menor do que o tamanho normal. Tenho 33 anos e gostaria muito de ter outro filho, fiz vários exames mas não tive resultados do porquê dos abortos. Todoss os ultra sons mostram um útero normal com cavidade, tamanho normal.

Um abraço Rosinha.

Resposta da dras Cláudia Gazzo e Priscilla Andrade

Rosinha

Abortamento de repetição são 3 perdas gestacionais consecutivas antes de 20 semanas. Pode ser explicado por causas genéticas, anatômicas, endócrinas, infecciosas, imunológicas e por causas desconhecidas. Como você já teve um filho e tem apenas 33 anos suas chances de engravidar são boas e as taxas de gestação espontânea giram em torno de 20% por ciclo menstrual. Procure auxílio de um médico especializado em Reprodução Humana para melhor elucidação do seu caso.

Boa sorte

Leia mais
  • Coluna passa a ser blog do UOL

    Cláudia Collucci, repórter da Folha de S. Paulo, é mestre em História da Ciência pela PUC-SP e autora dos livros "Por que a gravidez não vem?", da editora Atheneu, e "Quero ser Mãe", da editora Palavra Mágica. Escreve quinzenalmente na Folha Online.

    E-mail: claudiacollucci@uol.com.br

    Leia as colunas anteriores

  • FolhaShop

    Digite produto
    ou marca