Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/02/2005 - 01h50

Portela aposta em renovação com 600 crianças para falar das metas da ONU

Publicidade

JANAINA LAGE
da Folha online, no Rio

Uma das escolas mais tradicionais do Rio de Janeiro, a Portela aposta este ano em sinais de renovação. A Portela vai entrar com 600 crianças para o desfile com o enredo 'Nós podemos: oito idéias para mudar o mundo', defendendo as oito metas estabelecidas pela ONU em 2000, como a erradicação da pobreza e da fome, a redução da mortalidade infantil e a sustentabilidade do meio ambiente.

Os cantores Paulinho da Viola, Marisa Monte e Zeca Pagodinho, entre outros famosos, irão defender a escola durante o desfile. A modelo Naomi Campbell vai no segundo carro. Embora não saiba samba, a modelo prometeu muita alegria na avenida. "Estou muito nervosa, mas também muito feliz, é uma grande emoção", comentou a modelo.

Ao contrário de outras agremiações, a escolha do enredo não foi palco de disputas ou de idéias de representantes. A escola de Madureira foi escolhida para dar maior visibilidade às idéias defendidas pelo organismo internacional. No ano passado, durante a Cúpula do Rio, o presidente Lula chegou a visitar a escola para falar sobre as metas, que incluem a erradicação da fome, o respeito ao meio ambiente e a prevenção e o combate a enfermidades transmissíveis.

Segundo Amarildo de Mello, da comissão de Carnaval da Portela, um representante do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) indicou a escola para promover as metas. "Surgiu a idéia de desenvolver o tema por meio de uma escola de samba, que deveria ter as cores azul e branca como a ONU e já ter tradição e respaldo de mídia", disse o carnavalesco.

Mello considera um desafio a tarefa de levar para a avenida um tema defendido pelo presidente e por um organismo internacional. "A gente entende que a escola de samba tem uma função muito mais social do que o oba-oba, essa volta ao social está relacionada à origem das escolas de samba", disse.

Segundo o carnavalesco, a saída para lidar com temas tão sérios como mortalidade infantil e ensino de qualidade para todos é apresentar não somente os problemas, como as ações necessárias e o sonho de como seria o mundo sem estes entraves ao desenvolvimento.

A questão do direito ao ensino de qualidade, por exemplo, terá um carro alegórico com um palhaço de dez metros de altura. Segundo o carnavalesco, a idéia é mostrar que ensino e brincadeira andam juntos. O desfile da Portela também fará alusões a questões como a igualdade entre os sexos, a mortalidade infantil, a saúde de gestantes e os cuidados com o meio ambiente.

Líderes como Martin Luther King, Mandela, Gandhi, Madre Teresa e Irmã Dulce serão retratados como símbolos de personalidades que lutaram por um mundo mais justo e igualitário.

Uma das alas terá o nome de Sérgio Vieira de Melo (diplomata brasileiro morto em 2003, em atentado com carro-bomba no escritório da ONU, em Bagdá) e terá a participação de representantes da ONU, do Banco Mundial, do FMI, além de outras entidades.

Surpresa

A Portela ficou sem parte do carro abre-alas --destruído por um incêndio ontem. Segundo Guido Mendes, assessor de imprensa da escola, o carro, que teria 32 metros de comprimento, entrará na Marquês de Sapucaí com 28 metros.

O carro alegórico carregaria 89 pessoas. Porém, por causa do incêndio, apenas 53 componentes da escola estarão na alegoria. As outras desfilarão no chão, segundo Mendes.

O último carro deve mostrar o papel do samba e da cultura popular como veículos capazes de chamar a atenção do mundo para os problemas e soluções.

Um dos principais trunfos do desfile, no entanto, será uma surpresa: a águia da Portela, símbolo principal da escola. De acordo com Mello, ela aparecerá no início e no fechamento do desfile.

Depois da Portela desfilam Imperatriz Leopoldinense, Grande Rio, Beija-Flor.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Carnaval do Rio
  • Saiba mais sobre o Carnaval
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página