Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/02/2005 - 08h21

Beija-Flor fecha Carnaval carioca brincando de desfilar

Publicidade

da Folha Online

A aposta da Beija-Flor de misturar o sagrado e o profano agradou ao público. A escola passou em ritmo acelerado, mas contínuo, e, na segunda metade da apresentação, os componentes já passavam com tranqüilidade pelo sambódromo, como quem brinca de fazer Carnaval.

A Beija-Flor concluiu o desfile sem maiores problemas e como uma das favoritas do Carnaval carioca.

Com o enredo "O vento corta as terras dos Pampas. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Guarani. Sete povos na fé e na dor... Sete missões de amor", a agremiação apresentou diversas alas coreografadas. Os tons claros que predominaram no desfile tornou a apresentação agradável.

Embora o tema escolhido seja potencialmente polêmico, a agremiação decidiu aliviar a coreografia da comissão de frente. Inicialmente, Cleber Carvalho, que representou Jesus, seria chicoteado. Depois, a escola decidiu apenas deixa-lo ao lado da representação de Maria Madalena para assim fazer uma espécie de contraponto entre os personagens.

Antes de começar o desfile, um impasse entre o juizado de menores. Representantes da 1ª Vara da Infância e da Juventude queriam que as crianças de menos de 12 anos, que já estavam posicionadas no carro abre-alas desfilassem no chão. A escola foi atuada e pode ser condenada a pagar uma multa.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Carnaval do Rio
  • Saiba mais sobre o Carnaval
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página