Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/06/2005 - 11h24

Em depoimento, Edinho nega envolvimento com tráfico de drogas

Publicidade

da Folha Online

Preso segunda-feira (6) e autuado em flagrante por associação para o tráfico de drogas, o ex-goleiro Edson Cholbi Nascimento, o Edinho, filho de Pelé, disse em depoimento ocorrido nesta terça-feira que é inocente. Segundo a Polícia Civil, ele admitiu, porém, ser usuário de maconha.

Edinho foi ouvido na sede do Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos), em São Paulo, onde está detido.

J.Araújo/Folha Imagem
O ex-jogador Edinho, filho de Pelé
O ex-jogador Edinho, filho de Pelé
A Polícia Civil afirma que ele foi flagrado em conversas telefônicas com Ronaldo Duarte Barsotti de Freitas, o Naldinho, também preso e apontado como o chefe do tráfico de drogas na Baixada Santista. Naldinho é filho do ex-jogador do Santos Pitico, que foi contemporâneo de Pelé.

Edinho foi preso em seu apartamento em Santos (litoral paulista). Nas conversas gravadas pela polícia, ele negociaria a compra de drogas. O conteúdo da escuta feita no celular de Naldinho não foi divulgado.

"Eu não sou bandido, só preciso de tratamento", disse Edinho em depoimento, afirma a Polícia Civil. A dependência química confessada por Edinho deverá ser usada por seus advogados para tentar sua liberdade na Justiça.

Operação

No total, 52 pessoas foram detidas e 13 delas --incluindo o filho de Pelé-- foram autuadas em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em 22 locais da Baixada Santista e da Grande SP.

Para o diretor do Denarc, Ivaney Cayres de Souza, Naldinho estaria envolvido em uma disputa entre duas facções criminosas: o CV (Comando Vermelho), do Rio, à qual ele estaria ligado, e o PCC (Primeiro Comando da Capital), de São Paulo, de quem estaria tentando tomar pontos de venda localizados principalmente na Baixada Santista.

A suposta quadrilha presa pelo Denarc lavaria o dinheiro por meio de lojas de venda de carros e motos.

Outro lado

Mesmo sem conhecer o conteúdo das escutas telefônicas, Sidney Gonçalves, advogado de Edinho, afirmou que ele apenas conhece Naldinho e negou qualquer envolvimento de seu cliente com o tráfico de drogas na Baixada Santista.

Gonçalves disse que vai pedir à Justiça que Edinho responda o inquérito em liberdade.

"A conversa [por telefone com Naldinho] pode ter existido. Mas afirmar que, a partir disso, houve qualquer envolvimento de Edinho em algum crime é leviano", afirmou o advogado.

Com Folha de S.Paulo

Leia mais
  • Auge da carreira de Edinho foi no Santos dos anos 90
  • Pelé se mostra emocionado ao falar do filho preso

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Edinho
  • Leia o que já foi publicado sobre o PCC
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página