Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/08/2005 - 23h52

Hospedaria dos Imigrantes abrigará campus da Unifesp em Santos

Publicidade

MARIANA CAMPOS
da Agência Folha, em Santos

O prédio da Hospedaria dos Imigrantes, localizado em Santos, no litoral de São Paulo, vai abrigar o campus próprio da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) na Baixada Santista. O termo de cessão do edifício foi assinado na última terça-feira pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e pelo reitor da Unifesp, Ulysses Fagundes Neto.

A instituição será responsável pela recuperação e restauração do imóvel, tombado pelo Condepasa (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos) em dezembro de 1998. "Primeiro, nós vamos analisar qual é o tipo do tombamento do prédio. A parte interna, que está toda demolida, vamos ter que reconstruir. Já a parte externa, vamos restaurar, mantendo o visual original", afirmou Luciana Diniz Guttilla, arquiteta da Unifesp.

Para as obras de implantação do campus em Santos, a universidade espera contar com R$ 7,5 milhões do MEC (Ministério da Educação e Cultura), que não poderão ser usados para restauração, além de tentar captar recursos por meio da Lei Rouanet.

Como ainda não há um projeto para restauração do imóvel, Guttilla afirmou que é prematuro estabelecer prazos. A universidade esperou primeiro a cessão do prédio para depois investir no cronograma das obras.

O coordenador da implantação do campus na região, Samuel Goihman, afirmou que, em uma previsão otimista, a partir de 2007 poderá ser possível utilizar o imóvel. Atualmente, o campus da Unifesp em Santos funciona em um edifício alugado pela prefeitura na avenida Ana Costa.

Histórico

Datado de 1912, o prédio da Hospedaria dos Imigrantes de Santos foi construído com o objetivo de abrigar os imigrantes que chegavam ao país pelo porto.

Apesar disso, a historiadora Wilma Therezinha Fernandes de Andrade, doutora em História pela USP (Universidade de São Paulo), afirmou que ainda há dúvidas sobre sua utilização. "Eu nunca consegui encontrar uma prova documental, uma referência, mesmo literária, que o prédio [da hospedaria] tenha sido utilizado para abrigar os imigrantes", afirmou Andrade.

Ela disse que achou, em um jornal da época, que os imigrantes chegavam de navio e eram imediatamente levados para a estação da estrada de ferro. Lá, eles embarcavam para São Paulo, onde realmente ficavam na Hospedaria dos Imigrantes da capital.

O prédio da hospedaria de Santos funcionou como armazém de bananas destinadas à exportação e chegou a ser cogitado, no final do século passado, para abrigar um centro de convenções. Ele havia sido cedido pelo Estado à prefeitura no final do ano passado para fins turísticos, mas o prefeito João Paulo Tavares Papa (PMDB) concordou com o pedido da Unifesp de usá-lo para instalação do campus.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a Unifesp
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página